Publicado em 17/12/2015 às 13h16.

Em Tucano, quem canta de galo na prefeitura é o PT

Na cidade em que um prefeito usou dinheiro público para comprar Viagra, sucessão de 2016 já levanta a moral de pré-candidatos

Elieser Cesar

Pelo nome, o município até parece um ninho do PSDB, mas Tucano, no nordeste da Bahia, a 256 km de Salvador, é, desde 2012, governado pelo PT do prefeito Igor Nunes, o Dr. Igor, candidato à reeleição no próximo ano. Em setembro de 2003, a cidade ganhou projeção nacional com um fato que entrou para o folclore da política baiana: o prefeito Arilton Dantas (PFL, legenda que deu origem ao DEM), foi acusado pelo Ministério Público de usar dinheiro para comprar três caixas de Viagra, medicamento utilizado para disfunção erétil.

A surpreendente aquisição repercutiu na imprensa de todo o país e mereceu uma interpretação jocosa dos adversários do prefeito que diziam que Dantas comprara o Viagra “para continuar fodendo toda a cidade”, com uma administração acusada (pelo mesmo Ministério Público) de haver desviado R$ 2 milhões do erário público. Como se não bastasse, o prefeito foi ainda acusado de pagar, com dinheiro público, a pensão alimentícia de um filho, fruto de um relacionamento extraconjugal.

Sobre o Viagra, Arilton Dantas garantiu (à época) que não precisava do produto, alegou que que o dono da farmácia onde o lote de medicamentos foi adquirido se equivocou ao ler a lista encaminhada pela prefeitura, confundindo o anti-inflamatório Vioxx com o Viagra, depois cancelou a compra e determinou a abertura de sindicância para saber se houve falha de algum funcionário da prefeitura. Mas esse episódio são águas passadas que não movem mais os moinhos da política local, agora com a atenção voltada para a sucessão municipal de 2016, onde a pré-campanha já levanta a moral de alguns pré-candidatos que flertam com uma cobiçada senhora, a prefeitura local.

Nomes – O primeiro, claro, é o prefeito Dr. Igor, candidato legítimo a lutar para permanecer no cargo. O filho do arisco Arilton Dantas, Arilton Júnior, o Ariltinho, é pré-candidato pelo PSD, mas um nome novo na política local vem ganhando força e ares de favorito para enfrentar o prefeito: o advogado e fazendeiro Luiz Sérgio Arantes, o Dr. Sérgio (PMDB), pré-candidato com o apoio do ex-prefeito José Rubens Arruda, o Rubinho.  Rubinho tenta costurar uma aliança em torno da candidatura de Dr. Sérgio que una a vereadora Luciene Anicácio, a Branca (PSB), o ex-deputado estadual Gildásio Penedo Filho, o Gildasinho, atual conselheiro do Tribunal de Contas do Estado (TCE) e filho do ex-prefeito Gildásio Penedo, hoje vereador em Tucano.

O maior problema de Dr. Sérgio é que, na cidade, ele é apontado como “um ilustre desconhecido”, já que atua em Salvador, porém, tem a seu favor “a força da grana”, como definiu um tucanense da gema.

Em Tucano, a oposição unida, já demonstrou que tem força. Tanto que derrotou o prefeito na eleição para a mesa diretora da Câmara, para o biênio 2015-2016, e, hoje, tem maioria na Casa (oito contra seis vereadores da situação).

Lá, o Viagra agora é o banho revigorante na estância hidromineral de Caldas do Jorro que, para muitos tucanenses, “dá potência”.