Publicado em 25/12/2020 às 13h40.

General que preside estatal destoa de Bolsonaro sobre coronavírus

'Ninguém pode relaxar. Os números são ditadores', afirma Owaldo Ferreira

Redação
Foto: Reprodução/ Jovem Pan
Foto: Reprodução/ Jovem Pan

 

O presidente da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), general Oswaldo Ferreira, fez um apelo para que a população tome cuidados contra a Covid-19, e disse que os números são “ditadores”. A informação é da coluna de Guilherme Amado, da revista Época.

“Ninguém pode relaxar nada. Pelo contrário. Nós tivemos problema dentro da própria empresa. Está muito perigoso. Os números são ditadores. A doença é muito perigosa, cada vez mais me convenço do problema. Não pode baixar a guarda, tem que estar com proteção, com higienização, e fazer de tudo para não pegar essa doença”, afirmou Ferreira.

O chefe da estatal, que é vinculada ao MEC e administra 40 hospitais universitários, também torceu pela chegada rápida de uma vacina ao Brasil.

“Tomara que a vacina venha rápido. É importante que seja efetiva para isolar o vírus. Se a Ebserh tiver de ajudar, estamos prontos em qualquer sentido: vacinação, armazenamento de material, logística. Podemos reativar leitos a qualquer momento”, completou.

Segundo a publicação, o discurso de Ferreira contrasta com o de Jair Bolsonaro, que recentemente criticou a “pressa” para a vacina, e afirmou que a melhor imunização era “pegar o vírus”, causando mais uma aglomeração em suas viagens.

Ferreira foi uma figura central no comitê da campanha de Jair Bolsonaro em Brasília e no governo de transição, ao lado de Augusto Heleno. Declinou o convite para ser ministro da Infraestrutura, mas indicou Tarcísio Freitas.

Este site armazena cookies para coletar informações e melhorar sua experiência de navegação. Gerencie seus cookies ou consulte nossa política.