Publicado em 30/05/2020 às 08h30.

Justiça manda fundação do governo Bolsonaro apagar textos contra Zumbi dos Palmares

Artigos devem ser retirados dos canais de comunicação da instituição sob pena de multa diária no valor de R$ 1 mil

Redação
Foto: Reprodução/Facebook
Foto: Reprodução/Facebook

 

A Justiça determinou que a Fundação Palmares apague imediatamente de seus canais de comunicação dois textos que foram publicados contra Zumbi dos Palmares. A entidade é presidida pelo jornalista Sérgio Camargo, que coleciona uma série de posições controversas e críticas ao movimento negro.

Segundo a colunista Mônica Bergamo, a decisão foi proferida na sexta-feira (29) pela a juíza Maria Cândida Carvalho Monteiro de Almeida, da 9ª Vara Federal Cível da Seção Judiciária do Distrito Federal .

Em seu despacho, a magistrada assinalou que os artigos “Zumbi e a Consciência Negra – Existem de Verdade?”, de Luiz Gustavo dos Santos Chrispino, e “A Narrativa Mística de Zumbi dos Palmares”, de Mayalu Felix, devem ser retirados dos canais de comunicação da instituição, sob pena de multa diária no valor de R$ 1 mil.

A determinação atende a um pedido de liminar apresentador pelos deputados Túlio Gadêlha (PDT-PE), Benedita da Silva (PT-RJ), Áurea Carolina (PSOL-MG) e Bira do Pindaré (PSB-MA).

“Concluo, com base nessas considerações, que a permanência dos artigos questionados no sítio institucional da Fundação Cultural Palmares ameaça o patrimônio histórico-cultural brasileiro e viola o direito à identidade, ação e memória da comunidade negra e a sua garantia a condições adequadas para a preservação, expressão e desenvolvimento de sua identidade”, escreveu a juíza.