Publicado em 26/03/2016 às 16h00.

Lava Jato: anotação cita R$ 3,4 milhões para obra no governo Alckmin

Manuscrito foi apreendido pela Lava Jato com executivo da Odebrecht, Benedicto Barbosa da Silva Jr, conforme informa o jonal 'Folha de S.Paulo'

Redação

A anotação, de uma página, tem como título o nome Mogi Dutra, em referência à obra de duplicação da rodovia. Logo abaixo, aparece escrito: “valor da obra = 68,730,00 (95% do preço DER)”. Depois, na linha seguinte, a anotação é: “custos c/ o santo = 3,436,500”. A palavra “santo” aparece escrita sobre a palavra “apóstolo”, que foi riscada.

 Nas linhas seguintes, o manuscrito tem a expressão “acomodação de mercado”. Conforme a  “Folha”, isso sugere que as empreiteiras que participaram da licitação da obra formaram cartel e depois dividiram os valores.
Procurada pela imprensa, a assessoria do governador Alckmin disse “que quem deve dar respostas sobre as anotações é quem fez o manuscrito”. Ainda conforme a nota da assessoria, a partir da próxima segunda-feira (26) a Corregedoria-Geral da Administração do estado vai pedir à Polícia Federal permissão para ter acesso aos depoimentos que esclarecem as anotações.

“A licitação para a referida obra foi vencida pela empresa Queiroz Galvão. Quem tem que explicar as anotações mencionadas pela reportagem é quem as fez. A licitação para a referida obra foi vencida pela empresa Queiroz Galvão. Como a regra do governo do Estado é a total transparência, o documento foi enviado para apuração da Corregedoria Geral da Administração. Já a partir de segunda-feira, o corregedor-geral,  Ivan Agostinho, irá requerer à Polícia Federal permissão para o acesso a depoimentos que esclarecem essas anotações.”, afirma nota do governo.

Este site armazena cookies para coletar informações e melhorar sua experiência de navegação. Gerencie seus cookies ou consulte nossa política.