Publicado em 19/12/2015 às 13h00.

Ministro autoriza quebra de sigilo bancário e fiscal de Calheiros

O pedido para quebrar os sigilos de Renan foi enviado ao Supremo pela Procuradoria Geral da República na Operação Catilinárias

João Brandão
Foto: Lia de Paula/ Diário do Poder
Foto: Lia de Paula/ Diário do Poder

 

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Teori Zavascki autorizou a quebra de sigilo bancário e fiscal do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), no período entre 2010 e 2014.

De acordo com a revista “Época”, o pedido para quebrar os sigilos de Renan foi enviado ao Supremo pela Procuradoria Geral da República na Operação Catilinárias, da Polícia Federal, que cumpriu mandados de busca e apreensão na residência oficial do presidente da Câmara, deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

Segundo as investigações, Renan recebia propina pelos contratos da Transpetro, chefiada, na época, por Sérgio Machado, indicado pelo PMDB para ocupar o cargo. Ainda de acordo com a reportagem, no despacho do ministro Teori Zavascki que autorizou a quebra do sigilo de Renan, aponta que um dos pagamentos veio do contrato de R$ 240 milhões para a construção de 20 comboios de barcaças.

A defesa do presidente do Senado afirmou ter ficado “perplexa” com a determinação de quebra de sigilo. De acordo com o advogado Eugênio Pacelli, Renan havia colocado as informações bancárias e fiscais à disposição da Justiça desde maio.

PUBLICIDADE

Mais notícias