Publicado em 07/03/2016 às 07h40.

Mudança de atitude: MSTS promete radicalizar contra PT

Aliado histórico do partido, o Movimento divulga nesta segunda manifesto que prevê protestos, bloqueios de vias, e ações contra o governo Dilma

Redação
Tânia Rêgo/Agência Brasil
Tânia Rêgo/Agência Brasil

 

Além da crise econômica, política e aperto Lava Jato, a presidente Dilma Rousseff terá que enfrentar, a partir desta semana, pressão do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST). Aliado histórico do Partido dos Trabalhadores, o MSTS divulgará nesta segunda (7) um manifesto em que irá anunciar protestos, bloqueios de vias, novos acampamentos e ações em prédios públicos contra o governo federal.

Entre as justificativas do texto lançado estão a afirmação de que a petista tem encampado as reivindicações da elite, que não há mais expectativas de que ela faça uma guinada à esquerda e que, portanto, “as pautas da direita serão enfrentadas nas ruas, sem tréguas e com radicalidade”.

Ainda são citadas “iniciativas como a reforma da Previdência, a reforma fiscal, o acordo com o PSDB em relação ao pré-sal e a lei antiterrorismo são expressões de um governo que parece não ter mais limites na entrega de direitos sociais”.

A onda de manifestações, prometida para março e abril, tem potencial para fragilizar ainda mais a base social do governo. Os sem-teto pretendem conversar com outros movimentos sociais para engrossar os atos.

Apesar de ter endurecido o tom contra o governo, o MTST não vai aderir aos protestos pró-impeachment, como o marcado para domingo (13), uma vez que “não há nenhuma identidade com as manifestações da direita”.

Com informações da Folha de São Paulo.

Este site armazena cookies para coletar informações e melhorar sua experiência de navegação. Gerencie seus cookies ou consulte nossa política.