Publicado em 19/11/2019 às 19h30.

Neto defende punição a desembargadores do TJ-BA só ‘após comprovação dos fatos’

"Não tenho nenhum elemento para condenar ninguém, não tenho nenhum elemento para julgar ninguém e não faria, é bom deixar claro"

Chayenne Guerreiro / Rayllanna Lima
Foto: Matheus Morais/bahia.ba
Foto: Matheus Morais/bahia.ba

 

O prefeito ACM Neto comentou na noite desta terça-feira (19) o afastamento de quatro desembargadores do Tribunal de Justiça da Bahia, incluindo o presidente da corte, Gesivaldo Brito, em operação da Polícia Federal (PF).

Batizada de ‘Faroeste’, a operação visa desarticular um possível esquema criminoso voltado à venda de decisões judiciais por juízes e desembargadores, além de corrupção ativa e passiva, lavagem de ativos, evasão de divisas, organização criminosa e tráfico influência.

“A minha expectativa como cidadão é que tudo possa ser esclarecido, não interessa o cargo que a pessoa ocupa, seja no Executivo, Judiciário ou Legislativo. Está na função pública, é preciso agir com a maior ética, absoluta correção. O prazo que foi dado pelo STJ… Que siga para que as investigações prossigam, para que os esclarecimentos sejam oferecidos e para que não haja dúvida ou questionamento a respeito dos envolvidos”, afirmou o prefeito ao bahia.ba no evento de inauguração de uma árvore de Natal na frente do Palácio Thomé de Souza.

Neto afirmou ainda que prefere “não fazer juízo de valor” sobre nenhum dos envolvidos até que tudo seja esclarecido.

“Não tenho nenhum elemento para condenar ninguém, não tenho nenhum elemento para julgar ninguém e não faria, é bom deixar claro. Como cidadão, eu espero que, se alguma coisa se comprovar, que essa pessoa seja punida porque o Brasil mais do que nunca precisa disso”.

PUBLICIDADE