Publicado em 19/10/2019 às 07h32.

No Senado, Otto e Coronel faltam à audiência pública sobre vazamento de óleo

Dos baianos, apenas Jaques Wagner (PT) marcou presença em reunião na última quinta (17)

Breno Cunha
Foto: Agência Senado
Foto: Agência Senado

 

O Nordeste pode estar assistindo à maior tragédia ambiental de sua história, com o aparecimento de milhares de toneladas de petróleo nas praias de toda a região.

No Congresso, porém, pouco ainda se articula para que a União seja cobrada a tomar providências reais em relação ao problema.

Na primeira audiência pública sobre o vazamento do óleo, somente quatro dos 27 senadores nordestinos apareceram. Da Bahia, Jaques Wagner (PT) esteve presente, enquanto Otto Alencar (PSD) e Angelo Coronel (PSD) faltaram.

A informação foi dada pelo presidente da Comissão de Meio Ambiente do Senado, senador Fabiano Contarato (Rede-ES), lamentando a falta de participação dos parlamentares nordestinos.

“Nas comissões de assuntos econômicos não falta gente. Muitos senadores não querem se envolver com temas ambientais, não há compromisso. Nem os senadores nordestinos parecem se importar com o óleo nas praias”, disse, em entrevista ao site UOL.

A audiência pública aconteceu na última quinta-feira (17), na Comissão de Meio Ambiente. Especialistas e acadêmicos de vários estados participaram para debater o problema.

Os presentes cobraram do governo federal uma ação mais efetiva para reverter os danos ambientais causados pelo óleo. Wagner é o vice-presidente da comissão, enquanto Otto é titular.

PUBLICIDADE