Publicado em 29/07/2016 às 09h40.

O turismo é 7,5% do PIB baiano. E quer se livrar dos bugalhos

O turismo representa 7,5% do PIB baiano (R$ 157,4 bilhões, segundo a SEI, dados de 2010), o que não é pouca coisa

Levi Vasconcelos

Frase da vez

“Esta vida é uma viagem, pena eu estar só de passagem”

Paulo Leminski, poeta e escritor paranaense (1944-1989)

(Foto: Carla Ornelas/GOVBA).
(Foto: Carla Ornelas/GOVBA).

 

A julgar pelos afagos recebidos ontem dos líderes do trade turístico baiano, em almoço de despedida (da Secretaria de Turismo) no Fogo de Chão, o deputado Nelson Pelegrino tem boas razões para não gostar de ter sido rifado do cargo. Mas ele ganhou. Prometeu tornar-se embaixador do turismo baiano na Câmara, coisa que todos agradeceram, inclusive o novo secretário, José Alves, que também foi lá.

O turismo representa 7,5% do PIB baiano (R$ 157,4 bilhões, segundo a SEI, dados de 2010), o que não é pouca coisa. Dá mais de R$ 11 bilhões, mas Salvador, que representa 40% de nove destinos consolidados no estado, está precisando de uma guaribada, conforme listou Paulo Gaudenzi, o presidente do Convention Salvador:

1 — A recuperação do Centro de Convenções, peça fundamental para a captação de eventos, motivo das queixas de todos.
2 — A realização, pelo menos uma vez por ano, de uma campanha de mídia nacional mostrando o lado bom da capital baiana.
3 — Desencalhar o Prodetur, um projeto de US$ 80 milhões, para investir na Baía de Todos os Santos, dinheiro já liberado pelo Bird.
4 — Concluir o aeroporto de Salvador, que deveria ficar pronto na Copa, e está inacabado.

Como se vê, trabalho não falta, nem para Zé Alves, nem para o embaixador Pelegrino.

Lapa e Irmã Dulce

E já que o papo é turismo, começou, e vai até a próxima sexta, a romaria de Bom Jesus da Lapa.

Denilson Souza, dono de hotel e restaurante em Barreiras, diz que o impacto acontece em toda a região, inclusive lá, que fica a 186 quilômetros de distância da Lapa.

— São 80 mil romeiros. É o maior núcleo de turismo religioso da Bahia.

O trade tem a esperança de ver Salvador assim. A capital não tem a gruta sagrada da Lapa, mas tem Irmã Dulce, ali no Largo de Roma.

9 destinos

Nos quatro cantos da Bahia há nove destinos turísticos consolidados. Só Salvador, representa 40% do fluxo, que somados a Porto Seguro, Morro de São Paulo, Praia do Forte e Lençóis, significam 80%, segundo Sílvio Pessoa, da Federação Baiana de Hospedagem e Alimentação (FEBHA). Ei-los:

1 – SALVADOR, o maior, puxado pelo carnaval e eventos, agora sofrendo com a ausência do Centro de Convenções, que deve ser reaberto no início de novembro.
2 – COSTA DO DESCOBRIMENTO, tendo Porto Seguro como a capital e principal corredor regional.
3 – COSTA DO DENDÊ, com o Morro de São Paulo assumindo o papel de vedete.
4 – ILHÉUS, com o conjunto litorâneo que vai até Canavieiras, passando por Comandatuba, em Una.
5 – COSTA DO SAUÍPE, com complexo hoteleiro que é o carro-chefe no litoral norte baiano.
6 – PAULO AFONSO, com o complexo de barragens no Rio São Francisco sendo o grande atrativo.
7 – COSTA DAS BALEIAS, no extremo sul, com o arquipélago de Abrolhos no topo dos atrativos.
8 – CHAPADA DIAMANTINA, tendo Lençóis como âncora.
9 – OESTE BAIANO, com a romaria de Bom Jesus da Lapa à frente, mas também um vasto manancial de rios e cavernas.

Bahia Filmes

Na contramão da crise econômica do país, o cinema brasileiro não está em crise. Muito pelo contrário, o Fundo Setorial do Audiovisual da Ancine tem orçamento de R$ 1,15 bilhão para investir em cinema e audiovisual no Brasil em 2016/2017.

A lei manda que 30% da bolada seja investida no norte, nordeste e centro-oeste e a Associação de Produtores e Cineastas da Bahia está de olho numa fatia. Propõe a criação de uma empresa de economia mista, a Bahia Filmes, a exemplo da Spcine e Rio Filmes, casos bem sucedidos.

Falta o principal, o governo dar o OK.

Só Conversas

As conversas em torno da criação da Bahia Filmes já acontecem há algum tempo, desde quando Jaques Wagner, que adorou a ideia, era governador. Rui Costa também gostou. Mas não sai disso.

Deputado Bebeto Galvão (Foto: Divulgação/PSB).
Deputado Bebeto Galvão (Foto: Divulgação/PSB).

 

Mudando de lado

Blogueiros de Ilhéus e Itabuna dizem que o deputado Bebeto Galvão (PSB) formou uma frente ampla com toda a base ligada a ACM Neto para enfrentar Cacá dos Colchões, o candidato apoiado pelo prefeito Jabes Ribeiro na disputa pela Prefeitura de Ilhéus.

Bebeto tenta justificar queixando-se do tratamento que recebe do secretário Josias Gomes (Relações Institucionais).

É mais embaixo

Mas nos bastidores a versão é outra. Bebeto elegeu-se deputado federal em 2014 fazendo uma campanha milionária. Ele era do Sindicato dos Trabalhadores da Construção Pesada e Montagem Industrial da Bahia (Sintepav-Ba).

E o grosso dos financiadores estão presos pela Lava Jato. Ou seja, teria dificuldades em 2018 e a Prefeitura de Ilhéus cairia como uma tábua de salvação.

Vasco Neto

Finalmente está marcada para o dia 11 a sessão especial da Assembleia que entregará a comenda Dois de Julhos, post mortem, ao engenheiro Vasco Neto, que completaria 100 anos em fevereiro último, se vivo fosse. A autora da homenagem é a deputada Ivana Bastos (PSD).

Vasco Neto é considerado o grande idealizador da Ferrovia Oeste-Leste. Na real, o projeto dele era ligar Campinho, na Baia de Camamu, a Iquitos, no Peru.

A filha, Graça, representará o pai.

Levi Vasconcelos

Levi Vasconcelos é jornalista político, diretor de jornalismo do Bahia.ba e colunista de A Tarde.