Publicado em 07/12/2018 às 17h46.

Onyx se irrita com pergunta sobre R$ 1,2 milhão e deixa coletiva

Futuro ministro defendeu a honestidade de Bolsonaro e tentou desviar o assunto para as denúncias de corrupção no governo petista

Redação
Foto: Marcelo Camargo/ Agência Brasil
Foto: Marcelo Camargo/ Agência Brasil

 

O futuro ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni (DEM-RS), se irritou após ser questionado por jornalistas sobre a movimentação de R$ 1,2 milhão de um ex-assessor do filho de Jair Bolsonaro, Flávio Bolsonaro (PSL-RJ). Ele acabou perguntando o salário de um dos repórteres e deixou a coletiva de imprensa na tarde desta sexta-feira (7), em São Paulo.

O documento do Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras) faz parte da Operação Furna da Onça, faz apontamentos sobre transações financeiras de profissionais da Alerj (Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro).

Onyx defendeu a honestidade de Bolsonaro e tentou desviar o assunto para as denúncias de corrupção no governo petista. “Onde estava o Coaf no mensalão? Onde que estava o Coaf no petrolão? Esse que é o ponto”, afirmou Lorenzoni durante a coletiva de imprensa.

Ele então foi questionado sobre a origem dos R$1,2 milhão movimentados pelo ex-assessor. “Eu sou um investigador? Não. Como é que vou saber? Quanto tu recebeu esse mês?”, falou Onyx ao jornalista.