Publicado em 02/02/2019 às 08h05.

Otto e Coronel defenderam voto aberto no Senado; Wagner não ficou com a maioria

Na madrugada deste sábado, o ministro Dias Toffoli, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou que a votação para presidente do Senado seja secreta

Rodrigo Aguiar
otto wagner coronel foto facebook
Foto: Reprodução / Facebook

 

Dos três senadores baianos, dois votaram pelo voto aberto na eleição para a presidência do Senado. Ambos do PSD, Otto Alencar e Ângelo Coronel estiveram entre os 50 parlamentares que se posicionaram pela votação aberta nesta sexta-feira (1º).

Jaques Wagner (PT), por sua vez, seguiu orientação do partido e ficou contra a maioria dos integrantes da Casa. Após muita confusão, a sessão foi interrompida na sexta e será retomada na manhã deste sábado (2).

Coronel registrou candidatura à presidência do Senado. A votação aberta é encarada como prejudicial a Renan Calheiros (MDB), porque poderia causar constrangimento a muitos parlamentares que pretendem apoiar o emedebista.

Na madrugada, o ministro Dias Toffoli, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou que a votação seja secreta, ao atender a pedido dos partidos Solidariedade e MDB.

 



Este site armazena cookies para coletar informações e melhorar sua experiência de navegação. Gerencie seus cookies ou consulte nossa política.