Publicado em 07/08/2020 às 14h13.

Preferiria ter ficado preso, diz Marcelo Odebrecht ao relatar que vive ‘inferno’

Em entrevista à revista Veja, o empreiteiro baiano afirmou que, aos 51 anos, atravessa o pior momento de sua vida

Redação

Foto: Reprodução/ Agência Brasil
Foto: Reprodução/ Agência Brasil

 

O empreiteiro baiano Marcelo Odebrecht afirmou que está “vivendo um inferno”. A declaração foi dada em entrevista à revista Veja.  Dois anos após deixar a cadeira, o ex-bilionário foi demitido da empresa, teve bens congelados, pagamentos suspensos e sofre uma enxurrada de ações na Justiça.

À publicação, ele relatou a um amigo que, aos 51 anos, atravessa o pior momento de sua vida. Antes de ser solto, Marcelo passou dois anos e meio em cárcere.

“Preferiria ter ficado preso em Curitiba mais dois anos a passar o que estou passando nos últimos seis meses”, afirmou ele, citando dificuldades financeiras devido aos problemas judiciais. “Estou vivendo o inferno”.

Marcelo  Odebrecht foi um dos delatores na Operação Lava Jato e hoje vive recluso, em sua mansão em um bairro da zona sul de São Paulo. Ele cumpre regime semiaberto, podendo sair para trabalhar de dia e voltar para casa à noite. A delação assinada com a Justiça o permite ainda ter uma fortuna estimada em mais de R$ 140 milhões – mais sua participação acionária na Odebrecht.