Publicado em 20/01/2019 às 10h00.

Presidente do STF remete decisão final sobre Geddel e Lúcio a relator

Durante recesso do Judiciário, ministro Dias Toffoli recusou avaliar últimas petições da defesa dos Vieira Lima

Redação
Fotos: Marcelo Camargo/Agência Brasil|Izis Moacyr/ bahia.ba
Fotos: Marcelo Camargo/Agência Brasil|Izis Moacyr/ bahia.ba

 

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, descartou avaliar durante o recesso do Judiciário as últimas petições da defesa de Geddel e Lúcio Vieira Lima, na ação referente ao bunker dos R$ 51 milhões, informa a coluna Satélite, do Correio.

Coordenador do plantão do STF até a última segunda-feira (14), Toffoli julgou que não havia caráter de urgência para analisar as peças e, com isso, remeteu a decisão final sobre o processo ao relator do caso na Corte, ministro Edson Fachin.

Caberá e ele definir se a ação continua no Supremo ou será enviada à primeira instância, já que Geddel, como ex-ministro, não possui mais foro privilegiado e Lúcio perderá a prerrogativa em fevereiro, quando deixará de ser deputado federal.

De acordo com a publicação, a defesa dos irmãos pretende levar o caso à primeira instância. A Procuradoria-Geral da República pediu que Geddel e Lúcio sejam condenados a 80 anos e 48 anos de prisão, respectivamente.

PUBLICIDADE

Mais notícias