Publicado em 26/08/2016 às 15h20.

Caso Gleisi: Renan diz que agiu de forma ‘impessoal’ no STF

Em bate-boca com a senadora petista, o presidente do Senado afirmou mais cedo que atuou no STF para desfazer o indiciamento de Gleisi

Redação
Plenário do Senado
Foto: Geraldo Magela / Agência Senado

 

Após dizer que havia atuado no Supremo Tribunal Federal (STF) para desfazer o indiciamento da senadora Gleisi Hoffmann (PT) e do marido dela, o ex-ministro do Planejamento Paulo Bernardo, o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB), informou na tarde desta sexta-feira (26), por meio de nota, que sua intervenção foi “impessoal”.

“Como se constata, as intervenções do Senado Federal são impessoais, transparentes e ditadas pelo dever funcional no intuito de defender a Instituição e as prerrogativas do mandato parlamentar. O presidente do Senado reitera a isenção com a qual conduziu todo o processo e lamenta as recorrentes provocações em plenário”, afirma a nota divulgada pelo peemedebista.

Renan disse ainda que agiu de maneira “institucional” em defesa da senadora em duas oportunidades: quando a Polícia Federal foi ao apartamento da petista para ações de busca e apreensão e ao questionar o fato de a senadora ser indiciada pela PF, já que tem foro privilegiado.

“Trata-se de manifestação pública e institucional decorrente da operação de busca e apreensão realizada no imóvel funcional ocupado pelo senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) e do indiciamento da senadora pela Polícia Federal”, diz a nota. Informações do Globo.