Publicado em 02/08/2017 às 08h33.

Rui joga votação de Temer no colo de deputados: ‘Não liberei ninguém’

Governador negou que a saída de Josias Gomes e Fernando Gomes tenha sido uma articulação sua para ajudar o presidente da República

Rodrigo Daniel Silva
Foto: Pedro Moraes/ GOVBA
Foto: Pedro Moraes/ GOVBA

 

O governador Rui Costa (PT) negou, na manhã desta quarta-feira (2), que as exonerações dos secretários de Relações Institucionais e Desenvolvimento Urbano, Josias Gomes (PT) e Fernando Torres (PSD), tenha sido uma articulação sua para ajudar o presidente Michel Temer (PMDB) e barrar a chegada de Rodrigo Maia (DEM) ao Palácio do Planalto.

“Não liberei ninguém, eles pediram”, disse Rui, em entrevista à rádio Metrópole, ao pontuar que o pedido “partiu dos secretários”, porque não queriam “ficar de fora desse momento histórico”.

Apesar de Josias ter dito nesta terça (1º), que não vai votar pelo prosseguimento da denúncia, o governador garantiu que o secretário exonerado vai se posicionar a favor da abertura de investigação contra o presidente.

Sobre o pedido de empréstimo feito pelo governo, apontado como um dos motivos pelo parlamentar petista Afonso Florence, e que teria sido barrado pelos deputados do DEM, Rui apostou que a situação será revertida. “Vamos vencer essa batalha, por mais difícil que a batalha pareça”, disse.

Na entrevista, o governador também tentou emplacar a tese de “Nem Temer, nem Maia”, com um discurso pró-eleições diretas, mas a possibilidade de antecipar o pleito é inconstitucional e não está em discussão no Congresso.

Este site armazena cookies para coletar informações e melhorar sua experiência de navegação. Gerencie seus cookies ou consulte nossa política.