Publicado em 20/01/2016 às 07h45.

Acusado de matar marinheiro confessa latrocínio

Polícia ainda busca outros dois suspeitos de terem participado do crime

Redação
Mauro Akin Nassor/CORREIO
Mauro Akin Nassor/CORREIO

 

Acusado de ter assassinado o marinheiro Marcos Paulo Lira Nunes na tarde do último domingo (17), na passarela que liga a Rodoviária de Salvador ao Shopping da Bahia, o assaltante Crispiniano Santos da Silva, 23 anos, mudou a versão da causa do crime em depoimento à polícia na noite da última segunda-feira (18). Na versão anterior ele chegou a afirmar que o motivo do crime era passional, uma vez que a vítima teria tido um relacionamento com a sua namorada.

Agora, Crispiniano confessa que o marinheiro teria reagido à tentativa de assalto, o que o motivou a desferir três golpes de faca na vítima. Segundo policiais da 1ª Delegacia de Homicídios que participaram da prisão, o homem só confessou o latrocínio após o terceiro interrogatório. A polícia ainda busca outros dois suspeitos de terem participado do crime. Um deles já foi identificado: Alex José da Conceição. O outro é conhecido por enquanto apenas como “Chuck”. Segundo a investigação, ambos teriam dado suporte a Crispiniano no assalto.

O Crime – O homicídio ocorreu por volta das 16h30 do último domingo (17), em frente ao Shopping da Bahia. Agentes do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foram acionados, mas quando chegaram ao local a vítima já estava morta. O Departamento de Polícia Técnica (DPT) foi acionado para realizar a remoção do corpo e fazer os procedimentos de perícia.

Este site armazena cookies para coletar informações e melhorar sua experiência de navegação. Gerencie seus cookies ou consulte nossa política.