Publicado em 09/11/2015 às 18h53.

Banheiros químicos no Centro Histórico geram polêmica

Cabine tem apenas uma espécie de faixa que esconde a visão da cintura do usuário, deixando o resto do corpo à mostra

Hieros Vasconcelos

Instalados pela prefeitura de Salvador no  Terreiro de Jesus, no Centro Histórico, os banheiros químicos sem porta, restritos  para a utilização apenas por homens, estão rendendo pano para manga. O assunto tem tomado alguns minutos das conversas cotidianas de comerciantes, ambulantes, trançadeiras, turistas e transeuntes. Na noite desta segunda-feira (09), a Secretaria Municipal de Ordem Pública (Semop) informou que os banheiros serão retirados e que a instalação foi um equívoco. Na nota, ela afirma que os equipamentos foram colocados no último final de semana e a ideia é de que sejam transferidos para locais mais discretos.

Além dos equipamentos não terem sido bem recebidos, principalmente por causa do visual destoante do Centro Histórico, algumas mulheres se sentem incomodadas por ter que enxergar um homem, urinando no meio da praça, em plena luz do dia, em um dos principais pontos turísticos da cidade. “Isso aqui é uma região turística, não uma avenida no carnaval.  É feio, destoa da paisagem histórica”, destaca a funcionária pública Glória Maria Azevedo.

A comerciante Ana Lucia, que tem loja de roupas no Terreiro de Jesus, acha que os usuários dos equipamentos ficam muito expostos. “Não me sinto à vontade em estar na porta da loja e ver vários homens urinando.  Não é bonito, é desconfortável. Isso tem que ser usado em carnaval e festas de largo”, afirma.

Ana Lúcia acha que os equipamentos deixam o homem muito exposto
Ana Lúcia acha que os equipamentos deixam o homem muito exposto

No entanto, não é só o visual que incomoda algumas pessoas. Por não ter porta, o banheiro químico exala mau cheiro com mais facilidade. “Bate um vento, você sente todo o odor”, acrescenta Lucia.

Os estudantes Tauana Santana, 17, Philipe Nascimento, 17, e Elaine França, 17, sequer tinham reconhecido os equipamentos como banheiros químicos. “Isso é um banheiro é?”, questionou Philipe, quando incitado pela reportagem do Bahia.ba.  “Eu achei uma falta de respeito”, comenta Tauana, em tom indignado.

20151109_171821
Estudantes não gostaram dos banheiros químicos instalados no meio do Terreiro de Jesus

Prático e rápido – Enquanto uns se sentem incomodados, outros agradecem à prefeitura pelos banheiros públicos disponibilizados para a população. É o caso, por exemplo, do comerciante do Mercado Modelo Angelino Gonçalves. “O povo fala porque não está acostumado. Mas não tem com o que se incomodar. Não dá para ver nada. Só dá para ver o corpo do homem, ali, em pé”, pontua.

Comerciante do Mercado Modelo aprovou a instalação do banheiro no local
Comerciante do Mercado Modelo aprovou a instalação do banheiro no local
PUBLICIDADE

Mais notícias