Publicado em 21/05/2022 às 16h00.

Bruno volta a criticar greve de professores: ‘É injusto e incompreensível’

Ele citou reajuste de 11,37% oferecido pela prefeitura à categoria e afirmou que minoria tenta ‘politizar a educação’

Jamile Amine
Foto: Jamile Amine/bahia.ba
Foto: Jamile Amine/bahia.ba

 

Depois de classificar como “política” e comparar o comportamento da classe com o governo estadual de Rui Costa (PT), o prefeito Bruno Reis (União Brasil) voltou a criticar a paralisação dos professores da rede municipal de ensino de Salvador, deflagrada na última quinta-feira (19).

“É injusto e incompreensível que uma minoria tente politizar a educação, que já sofreu tanto com a pandemia. Os maiores prejudicados com essa greve são nossas crianças”, escreveu o gestor, por meio de sua conta oficial no Twitter, neste sábado (21).

Apesar da categoria reivindicar reajuste de 33,4% de reajuste, Bruno argumentou que a prefeitura tem tentado um acordo e ofereceu 11,37%. “Isso significa que o salário médio dos profissionais efetivos passa a ser de R$ 8.300, podendo chegar a R$ 18.700”, argumentou.

Este site armazena cookies para coletar informações e melhorar sua experiência de navegação. Gerencie seus cookies ou consulte nossa política.