Publicado em 09/02/2016 às 12h20.

Caps estão sem medicamentos de uso contínuo e controlado

Enquanto o carnaval acontece, equipe da Defensoria Pública identifica que unidades de atendimento a pessoas com problemas psiquiátricos estão fechadas

Redação
Foto: Reprodução Youtube
Foto: Reprodução Youtube

 

Pessoas em situação de rua, abrigadas na Unidade de Acolhimento de Itapuã, estão sem acesso aos medicamentos de uso contínuo e controlado, em virtude do não funcionamento dos Centros de Atenção Psicossocial (CAPS). A situação foi identificada pela equipe de profissionais em atividade itinerante do Plantão do Carnaval da Defensoria Pública do Estado da Bahia neste domingo (7).

Como forma de reestabelecer o fornecimento dos medicamentos com urgência, o órgão oficiou à Secretaria Municipal de Saúde de Salvador (SMS) para que esta respondesse em 24 horas sobre a suspensão do serviço médico e a respectiva entrega dos medicamentos. No entanto, até às 20 horas desta segunda-feira (8) a SMS não respondeu ao ofício.

Risco – A coordenadora do plantão na área não penal, defensora pública Mônica Aragão, sustentou no ofício que “um eventual descontrole psíquico por ausência da continuidade do uso do medicamento compromete, não somente a integridade do cidadão, mas também dos demais acolhidos e funcionários da referida Unidade de Acolhimento”.