Publicado em 08/11/2015 às 14h36.

Caso Daniel Prata: ato pacífico homenageia publicitário morto em acidente

Em caminhada no bairro da Barra, familiares e amigos da vítima se uniram num pedido de justiça

Redação

Uma caminhada na Barra, orla de Salvador, marcou na manhã deste domingo (8) um ano da morte do publicitário Daniel Prata, 29 anos, vítima de um acidente de carro, no bairro do Itaigara. Além de homenagear a memória da vítima, familiares e amigos aproveitaram o ato para pedir paz.

Para a mãe do jovem, Maria da Graça Paschoalick, a manifestação pacífica buscou, principalmente, fazer com que o caso não seja esquecido. Foi também uma oportunidade para homenagear familiares de outras vítimas da violência.

Na quinta-feira (5), o Ministério Público Estadual ofereceu denúncia à Justiça contra o advogado Roberto João Starteri Sampaio Filho, entendendo que há elementos suficientes para que o caso prossiga na Justiça, tais como o estado de embriaguez e a velocidade (entre 135 e 140km/h) desenvolvida pelo suspeito no momento da colisão. Autora da denúncia, a promotora de Justiça do núcleo do Júri (NUJ) do MPE Ana Rita Nascimento também pediu a prisão preventiva de Starteri.

O acidente que resultou na morte de Daniel Prata aconteceu na madrugada de 8 de novembro de 2014, próximo ao Parque da Cidade, no Itaigara. Ele dirigia um Hyundai Sonata prata, acompanhado da médica cearense Luciana Lucetti, 35, quando foi atingido pela Nissan Frontier preta dirigida pelo advogado Starteri.

Luciana sofreu traumatismo cranioencefálico e uma fratura na bacia. Starteri teve ferimentos leves e foi autuado em flagrante, sendo liberado três dias depois, após pagar fiança estipulada em R$3.620.

PUBLICIDADE