Publicado em 20/11/2015 às 07h41.

Dia da Consciência Negra é celebrado nas redes sociais

A luta contra o racismo ganha aliados com lançamento de aplicativo de valorização da população negra

Juliana Dias

Tomar as ruas com cartazes e palavras que denunciam o racismo é uma das principais ações que a população soteropolitana realiza em diversos cantos da cidade como referência à data que homenageia Zumbi, líder do Quilombo dos Palmares, e que ficou conhecida como o Dia Nacional da Consciência Negra: 20 de novembro.

O calendário de atividades para o dia 20 de Novembro é extenso, diverso e sua celebração política é feita, tanto nas ruas quanto nas redes sociais, afinal de contas as novas tecnologias também são uma ferramenta para a expressão e a manifestação de opiniões e ideias, porém no formato digital.

A blogueira e pesquisadora do Dresscoração, Luma Nascimento, usa e abusa do Facebook e do Instagram para manifestar seu repúdio ao racismo, a partir da valorização da estética afro-brasileira africana e da sua valorização enquanto mulher, jovem e negra.

luma
Luma Nascimento (Foto: Jeferson Lima)

 

Para a jovem, o Dia da Consciência Negra é todos os dias. “Quem é negro nessa cidade vive o 20 de novembro diariamente, até as pessoas que não têm a consciência disso. As redes sociais nos ajudam muito a manter a nossa luta e a manifestar o nosso ativismo, seja no dia 20 ou nos outros 364 dias do ano.  Além, é claro, de servir de influência para outros jovens”, diz.

É justamente essa influência positiva que deve ser impulsionada nas redes sociais, sobretudo quando o país vive uma onda de possíveis retrocessos sociais e democráticos, como ressalta o professor da Faculdade de Educação da UFBA, Nelson Pretto. “A gente está vivendo um momento no Brasil onde a intolerância está crescendo muito. Nesse Novembro Negro, temos que nos apropriar intensamente das redes sociais para fazer um movimento em defesa da justiça, da solidariedade e de um mundo que valorize a diferença”, diz o professor, que também é o líder do grupo de pesquisa Educação, Comunicação e Tecnologia da UFBA.

#SalvadorSemPreconceito– O envolvimento com causas e manifestações contrárias ao racismo pode partir tanto de pessoas físicas quanto jurídicas. Pensando pontualmente em contribuir para a valorização da cultura e da população negra de Salvador, a empresa de comunicação digital Tao Interativa criou um aplicativo que permite marcar na foto de perfil do Facebook a frase “Orgulho de fazer parte da cidade mais negra do Brasil”.

“Recentemente temos visto muitos casos de racismo na Bahia e no Brasil por meio das redes sociais. Por isso, decidimos lançar esse aplicativo para apoiar a luta contra o racismo e valorizar a maioria da nossa população, que é negra”, conta Zeca Sento-Sé, diretor de criação da Tao Interativa.

A iniciativa lançada na véspera do Dia da Consciência Negra ficará disponível para todos os usuários da maior rede social do planeta até o final do dia 20, acesse aqui.

PUBLICIDADE