Publicado em 07/11/2015 às 16h26.

Detentos de Salvador participam de aula para o Enem 2015

Aula inaugural reuniu cerca de 890 detentos que se inscreveram no Enem. Expectativa é de reinserção social após cumprimento da pena.

Redação

Motivados pelas ações educacionais, em unidades prisionais da Bahia, 890 detentos se inscreveram no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Aspirando a liberdade e a reinserção social após o cumprimento da pena, eles se empenham na rotina diária em sala de aula com os professores na modalidade Educação para Jovens e Adultos (EJA).

As provas nas unidades prisionais de todo o País acontecem nos dias 1º e 2 de dezembro próximo, e, na manhã deste sábado, cerca de 50 internos do Complexo Penitenciário da Mata Escura participaram do ‘Aulão Inaugural para o Enem 2015’.

O professor e secretário de Cultura do Estado, Jorge Portugal, na condição de voluntário, deu uma aula de Português e Redação, além de dicas aos alunos. Ele também elogiou a iniciativa da Secretaria de Administração Penitenciária e Ressocialização (Seap).

“Hoje estou me sentindo um professor mais responsável ainda. Na condição de secretário sairei daqui levando o compromisso de formular parcerias com o sistema prisional, como o incentivo à produção artística e cultural dos detentos, criação de projetos especiais para premiar pessoas que escrevem poesias, contos, que trabalham na área de artes plásticas, dar visibilidade a isso e aumentar a autoestima dos internos”, destacou Portugal.

O superintendente de Ressocialização Sustentável da Seap, Luis Antônio Fonseca, afirmou que a ideia é devolver o apenado ao convívio social numa condição melhor do que na época quando entrou no sistema prisional. “Não importa pra gente o crime que ele cometeu. Nosso papel é vigiar, mas também procurar a cada dia, por meio de um trabalho técnico, específico com a família, assistente social, psicólogo, com os agentes penitenciários e os servidores como um todo, retornar este homem à sociedade na categoria de cidadão, de onde ele nunca deveria ter saído”.

Maria das Graças Barreto, diretora do Colégio Estadual Professor George Fragoso Modesto, localizado no Complexo da Mata Escura, informou que na unidade já são desenvolvidas ações preparatórias para o Enem desde 2011. De acordo com ela, somente da Penitenciária Lemos Brito (PLB) são 350 pessoas matriculadas no EJA nos três turnos. Ela contou que “já realizarmos aulas para o Enem e aulões como este são importantes porque estimulam tanto os professores quanto os alunos”.

Prouni e Sisutec – Seis detentos da PLB já fizeram o Enem e ingressaram no ensino superior via Programa Universidade para Todos (Prouni) e outro participa de curso técnico por meio do Sistema de Seleção Unificada da Educação Profissional e Tecnológica (Sisutec).

Com 42 anos, três deles cumprindo pena, Osmar Lisboa tem o sonho de fazer faculdade e orgulhar a família. Foi ele, inclusive, quem solicitou à administração do presídio que realizasse uma atividade complementar visando ao ingresso na universidade. “As pessoas não têm noção do quanto são importantes estes aulões para levantar a autoestima e tirar nossas dúvidas”.

PUBLICIDADE