Publicado em 09/03/2016 às 09h38.

Estudantes protestam contra professor e bloqueiam sala da Ufba

Fernando Conceição, professor da Faculdade de Comunicação, é o alvo do protesto de alunos que o acusam de ser machista e homofóbico na sala de aula

Redação
Foto: Leitor bahia.ba
Foto: Juliana Rodrigues

 

Cadeiras e mesas bloqueando a entrada da sala, onde o professor Fernando Conceição ministraria aula, foi a forma que um grupo de alunos encontrou para protestar contra o docente, apontado por ser machista e homofóbico em suas aulas, na Faculdade de Comunicação (Facom), da Universidade Federal da Bahia (Ufba).

Na segunda-feira (7), alguns estudantes divulgaram uma nota de repúdio contra o professor, com queixas da postura dele em sala de aula. No texto, foram citadas algumas frases supostamente ditas pelo docente, como “livro grosso serve para bater na namorada”, “homem só gosta de mulher bonita e não inteligente” e “machismo, racismo e homofobia são opiniões”.

Em sua defesa, Conceição negou, em uma reportagem do jornal Extra, as acusações e destacou que 13 das 30 pessoas que assinam a nota não são alunos dele e, portanto, não poderiam acusá-lo de machismo e homofobia em sala de aula. Diante disso, ele questiona a intenção da nota de repúdio e insinua que a iniciativa é encabeçada por pessoas com interesses políticos.

O docente também explica que costuma discutir temas atuais nas suas salas e que, durante esses debates, pode ter posições diferentes de alguns estudantes, como aconteceu nesta segunda, quando ele opinou sobre a maternidade e foi criticado por alguns alunos.

Ao A Tarde, a  direção da Facom disse que iria ouvir o docente e verificar com a Reitoria da Ufba qual medida poderia ser tomada.