Publicado em 08/02/2016 às 00h30.

Ferry deixa usuário a (não) ver navios

Depois de prometer funcionamento ininterrupto durante o carnaval, Internacional Travessias suspende operação na noite deste domingo

Jaciara Santos
ferry fechado
Portões fechados noTerminal de São Joaquim, pouco antes da 0h (Fotos: Jaciara Santos/bahia.ba)

 

Quem acreditou na promessa da Internacional Travessias de funcionamento ininterrupto durante o carnaval acabou caindo numa “pegadinha”: o serviço estava condicionado à demanda de veículos. Neste domingo (7), a operação foi suspensa por volta das 23h30 e os pedestres que chegaram depois desse horário ficaram, literalmente, a ver navios… ancorados.

De acordo com um funcionário que preferiu não se identificar, o atendimento privilegia o embarque de veículos. “Não tem carro, não tem ferry”, disse ao bahia.ba, com ar de deboche, o atendente.

Trabalhadores de plantão no carnaval, foliões e moradores da ilha que, por algum motivo precisaram se deslocar a Salvador e tentaram retornar à ilha neste final de noite, tiveram que pernoitar no terminal de São Joaquim. Guichês fechados e portões lacrados sinalizavam o desrespeito. “O próximo embarque é às 5h”, confirmou a artesã Carolina Machado, militante do Movimento Novas Felipas e residente em Mar Grande.

O bahia.ba não conseguiu contato com a assessoria de comunicação da operadora antes do fechamento desta matéria.

Posição da empresa – Em nota enviada ao bahia.ba, a Internacional Travessias Salvador informa que o horário de funcionamento da operação atende aos horários determinados em contrato junto às empresas de regulação: de segunda a sábado, das 05h às 23h30, e domingos e feriados, das 06h às 23h30. Em períodos determinados, horários extras durante a madrugada são disponibilizados para atender à demanda. Neste domingo (7),  o funcionamento teria seguido o horário normal, até 23h30. Só teria saída extra se a demanda fosse igual, ou superior, à capacidade mínima da embarcação (70% de lotação), informa a assessoria de comunicação.

carol e amiga
A ‘filipete’ Carolina Machado e uma amiga: pernoite forçado em Salvador (Foto: Jaciara Santos bahia.ba)