Publicado em 23/02/2016 às 10h40.

Motorista que matou mulher em Nazaré não tinha experiência

O irmão do condutor e proprietário do carro envolvido no acidente foi quem informou à polícia as condições que causaram a morte da mulher de 35 anos

Redação
(Foto: Reprodução/ Carlos José/Site Voz da Bahia)
(Foto: Reprodução/ Carlos José/Site Voz da Bahia)

 

O motorista do carro que atropelou e matou, na manhã de domingo (21), uma mulher de 35 anos, que caminhava com os dois filhos por uma ladeira da cidade de Nazaré, no Recôncavo baiano, não teria experiência para dirigir e teria pego o veículo sem autorização.

O irmão do condutor e proprietário do carro envolvido no acidente foi quem informou à polícia as condições que causaram a morte. Ele se apresentou à delegacia ainda no domingo. O motorista ainda não foi localizado.

“Ele é o proprietário do carro e afirmou que seu irmão pegou a chave sem seu consentimento. Ele disse que estava dormindo em casa quando o irmão pegou o carro e tentou tirar o veículo da garagem, sem ele ver. Foi quando perdeu o controle ao realizar a manobra e acabou descendo a ladeira onde caminhavam a mulher e os filhos”, disse o delegado Marcos Maia, ao G1.

Segundo o delegado, o irmão do acusado alegou que o suspeito é maior de idade e que possui habilitação, mas não tem experiência. “Disse que é uma pessoa habilitada, mas sem experiência ao volante. Não tinha o hábito de dirigir. Ouvimos hoje (segunda-feira, 22) algumas testemunhas, e não há relatos de que ele estivesse embriagado. O advogado dele (do condutor) manteve contato com a polícia e disse que ele vai se apresentar amanhã (terça, 23)”, afirmou Maia.

O irmão disse ao delegado que o motorista deixou o local após o acidente por medo de ser linchado. “Ele alega que o irmão não fugiu, apenas saiu porque ficou com medo da reação de algumas pessoas. Nós agora vamos aguardá-lo para que dê sua versão do fato e saber se o depoimento vai condizer com o das outras pessoas ouvidas. Também estamos aguardando o resultado da perícia realizada no local do crime”, disse.

As duas crianças que estavam com a mãe, uma menina de 5 anos e um bebê de seis meses, ainda continuam internadas no Hospital Regional de Santo Antônio de Jesus. A garota sofreu ferimentos mais graves, uma fratura em um dos braços e no fêmur. Segundo a unidade de saúde, ela passou por uma cirurgia e está lúcida. Já o recém-nascido teve ferimentos leves e está em observação.

Este site armazena cookies para coletar informações e melhorar sua experiência de navegação. Gerencie seus cookies ou consulte nossa política.