Publicado em 25/11/2015 às 10h23.

Operação desarticula fraudes em licenciamentos ambientais

Ministério Público Estadual constatou envolvimento de servidores da prefeitura de Salvador

Redação

O Ministério Público Estadual deflagrou, nesta quarta-feira (25), a “Operação Verde Limpo”, que visa desmontar um esquema de fraudes em processos de licenciamentos ambientais e de autuações ilegais. Desde a madrugada que está sendo cumprido cinco mandados de prisão, quatro de condução coercitiva e quatro de busca e apreensão em Salvador.

O plano envolvia servidores do município lotados na extinta Diretoria Geral de Licenciamento e Fiscalização Ambiental (DGA), integrante da então Secretaria de Transporte e Urbanismo (Semut), hoje incorporada pela Secretaria de Urbanismo de Salvador (Sucom).

Eles agiam ilegalmente em diversas empresas, pois quando constatava a ausência de licenciamento ambiental em restaurantes, concessionárias de veículos e de motos, oficinas, padarias, empresas de construção civil e gráficas, eles autuavam os empresários e posteriormente cobravam pagamento de “comissões” ou “propinas”.

Em nota, a Prefeitura de Salvador informou que já tinha conhecimento do processo e que a Sucom está dando total apoio as investigações da operação. Informa ainda que, conforme determinação do prefeito ACM Neto, assim que sair a lista dos servidores envolvidos no esquema, estes serão imediatamente afastados dos cargos.

Os resultados da Operação Verde Limpo serão apresentados durante coletiva, marcada para as 15 horas, nesta quarta-feira (25), na sede do Ministério Público Estadual, no Centro Administrativo da Bahia.