Publicado em 19/10/2021 às 11h03.

Residencial Sol Nascente realiza sonho de mais 500 famílias em Salvador

A assinatura do contrato e entrega das chaves foi realizada no local, nesta terça-feira (19), pelo prefeito Bruno Reis (DEM)

Redação
Foto: Bruno Concha/Secom
Foto: Bruno Concha/Secom

 

Um mês após entrega das chaves a 250 beneficiários do Residencial Vivendas do Mar, em São Tomé de Paripe, mais 500 famílias em Salvador foram beneficiadas com o sonho da casa própria no empreendimento Sol Nascente I, II e III, na Estrada do Arenoso, em Nova Esperança, na região do CIA-Aeroporto. A assinatura do contrato e entrega das chaves foi realizada no local, nesta terça-feira (19), e reuniu o prefeito Bruno Reis, o ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, o secretário Nacional de Habitação, Alfredo Eduardo dos Santos, e o titular da Secretaria Municipal de Infraestrutura e Obras Públicas (Seinfra), Luiz Carlos de Souza.

Os cidadãos foram contemplados através do programa habitacional Casa Verde e Amarela e aprovados pela Caixa Econômica Federal. Parte dessas pessoas foi contemplada com o imóvel por meio de seleção na internet, realizada nos anos de 2019 e 2020, e outra parte vivia em ocupações no casarão da Ladeira da Praça, no Centro da cidade, e na comunidade Paz e Vida, na Mata Escura – ambas consideradas áreas de risco e que passaram por um processo de reassentamento.

Durante a assinatura dos contratos, o prefeito lembrou da situação dos moradores da comunidade Paz e Vida, na Mata Escura, que viviam em situação precária e, agora, recebem um lugar mais digno para morar. “Quem vivia no Paz e Vida tinha tudo, menos paz e vida. As pessoas moravam em barracos de madeira, em casas que não tinham banheiro, com esgoto a céu aberto, tendo que conviver com baratas e ratos. Na ocasião, nós dissemos que as traríamos para morar com toda a dignidade. Hoje, está sendo feito o reassentamento dessas 194 famílias, que esse ano, com fé em Deus, terão um Natal muito melhor. Também estão sendo trazidas 18 famílias de um casarão da Ladeira da Praça aqui para o Sol Nascente”, afirmou.

O ministro Rogério Marinho garantiu a continuidade e intensificação das parcerias entre os governos federal e municipal. “O sonho de vocês que está sendo realizado aqui é o sonho de milhões de famílias brasileiras. Nós temos que continuar trabalhando muito. Nós vamos estabelecer mais parcerias com a Prefeitura de Salvador, uma prefeitura que tem uma capacidade de execução bem acima da média das demais prefeituras do Brasil, uma prefeitura competente, operosa, trabalhadora, que tem honrado o voto e a confiança da população de Salvador”.

Desafios – As obras do residencial tiveram início em 2018. O prefeito também ressaltou os desafios para a conclusão das obras de infraestrutura do empreendimento e entrega das unidades habitacionais. “Não é fácil tirar do papel um empreendimento dessa magnitude. Quando concluímos as obras de infraestrutura, surgiram problemas com esgotamento sanitário e abastecimento de água, mas fomos vencendo os problemas. Também foi um desafio cadastrar e selecionar as famílias em plena pandemia, mas com muito trabalho e, acima de tudo, tendo a compreensão do quanto é importante a casa própria para essas pessoas, em nenhum momento perdemos a esperança de que iríamos superar os obstáculos”.

Além do residencial, a Prefeitura investiu mais de R$2 milhões em pavimentação das vias do entorno e está concluindo a licitação para, em breve, construir uma escola municipal dentro do empreendimento habitacional, com investimento de R$7 milhões oriundos de recursos próprios. “Em todos esses empreendimentos, a Prefeitura tem viabilizado toda uma infraestrutura necessária com pavimentação, unidades de saúde e escolas”, complementou o prefeito.

Entrega – Além dos 500 contratos, os outros 380 dossiês passam por análise da Caixa Econômica Federal para a assinatura do contrato, vistoria e entrega gradativa das chaves, à medida em que houver uma devolutiva da instituição. A expectativa é que o processo seja concluído até o final de novembro e que nesse prazo todas as 880 chaves tenham sido entregues.

Para a dona de casa Cecília Silva, de 41 anos, a chave entregue hoje representa uma garantia de sobrevivência para ela e para as duas filhas. “O imóvel trará mais um alívio para a gente, pois eu estou desempregada, conto com a renda do Bolsa Família, e está sendo uma alegria muito grande receber essa chave hoje. Está tudo muito bem estruturado, feito com carinho, o apartamento veio com piso, o banheiro com forro, tudo muito limpo e bem cuidado, sem falar que vamos ter segurança e área de lazer. Houve realmente uma preocupação com a moradia de quem mais precisa”, disse emocionada.

Ela conta que já morou de favor, contanto com a ajuda de outras pessoas e recentemente vivia de aluguel em Cajazeiras. “Foram dez anos de luta, de cadastro e de espera até ser contemplada com um apartamento próprio. Eu acredito que essa seja a maior realização da vida para qualquer pessoa que mora de aluguel”.

Mãe de um bebê de nove meses e de uma filha de 19 anos, a designer gráfica Luine dos Santos, de 33 anos, também se disse realizada. “A dificuldade de moradia era muita, espero que essa dificuldade tenha chegado ao fim hoje. Foram 17 anos esperando pelo sonho de uma casa própria e, ao chegar aqui para fazer a vistoria, a felicidade veio, porque eu vi que o meu sonho está sendo realizado. É uma conquista não só minha, mas das outras pessoas que estão aqui também, cada um com a sua história de vida”.

Estrutura – Os residenciais Sol Nascente I e II são compostos por 15 blocos cada e o Residencial Sol Nascente III, por 14 blocos, reunindo 880 moradias no total. Cada apartamento possui 47 metros quadrados distribuídos por dois quartos, sala, cozinha e banheiro. O empreendimento conta com quadra de esporte, centro comunitário e parque para as crianças.

Balanço – Com o antigo programa Minha Casa, Minha Vida, a Prefeitura entregou 12.339 unidades habitacionais em 24 empreendimentos em localidades como Fazenda Grande, Ceasa, Pirajá, Coutos, Jardim das Margaridas e Boca da Mata. Já com o atual Casa Verde e Amarela, outras 500 unidades foram entregues recentemente em São Tomé de Paripe.

Além disso, foram entregues pelo Município, com urbanização integrada, 257 unidades habitacionais na Comunidade Guerreira Zeferina, 358 unidades em Baixa Fria e mais 120 unidades na Vila Barro Branco, esta última destinada às vítimas de chuva. Outras 876 moradias estão previstas para serem entregues ainda este ano, juntamente com a Caixa Econômica Federal, nos residenciais Vila Solidária Mar Azul (em Tubarão) e Mané Dendê (Ilha Amarela).



Este site armazena cookies para coletar informações e melhorar sua experiência de navegação. Gerencie seus cookies ou consulte nossa política.