Publicado em 24/03/2020 às 21h20.

Restaurante Popular fornecerá almoço em quentinhas

As duas unidades mantidas pelo governo, no Comércio e Liberdade, fornecem 4.945 refeições por dia

Redação
Foto: Divulgação/SJDHDS
Foto: Divulgação/SJDHDS

 

As duas unidades do Restaurante Popular mantidas pelo governo, no Comércio e na Liberdade, passam a fornecer o almoço em quentinhas, a partir desta quarta-feira (25). Administrados pela Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social da Bahia (SJDHDS), os equipamentos continuarão fornecendo refeições balanceadas para cerca de 5 mil pessoas, mas o almoço dentro das duas unidades será suspenso.

As quentinhas serão ofertadas durante o horário de funcionamento das unidades, das 10h às 14h30.”O objetivo é garantir a segurança e a saúde dos usuários que utilizam diariamente as duas unidades, localizadas nos bairros do Comércio e da Liberdade, em Salvador. É importante destacar ainda que essas refeições devem ser consumidas no mesmo dia”, explicou a superintendente de Segurança Alimentar da SJDHDS, Rose Pondé.

Pondé ainda destaca a importância das pessoas manterem o distanciamento na fila. “Estamos seguindo todas as orientações das secretarias Estadual e Municipal da saúde e a conscientização da população é fundamental. Por isso, peço que as pessoas se mantenham distantes umas das outras. Ficar a pelo menos 1,5 metro de distância é muito importante”, afirmou.

Em ambos os restaurantes, o usuário paga o valor simbólico de R$ 1,00 pela refeição. As crianças menores que 05 anos são atendidas gratuitamente. Os Restaurantes Populares fornecem 4.945 refeições por dia, sendo 2.645 na unidade Comércio e 2.300 na unidade Liberdade.

Na semana passada, a SJDHDS já tinha ampliado as medidas de prevenção e reforço na higienização com o objetivo de garantir a proteção aos usuários dos restaurantes. Entre as medidas adotadas estavam o controle de acesso, visando respeitar a distância mínima entre as pessoas nas mesas; aumento da oferta de equipamentos contendo álcool em gel 70%; utilização de máscaras pelos funcionários; aumento da frequência da higienização das mesas, bandejas e utensílios; e publicização de ações de conscientização nos locais.

PUBLICIDADE