Publicado em 15/04/2016 às 08h20.

Rodoviários falam em campanha salarial; CUT admite ato político

Assessoria do sindicato e presidente da CUT divergem sobre o real motivo da paralisação desta sexta

Linda Gomes
Foto: Reprodução/ Facebook CUT-BA
Foto: Reprodução/ Facebook CUT-BA

 

 

Os ônibus de Salvador voltaram a circular por volta das 8h, na manhã desta sexta-feira (15), após um protesto de quatro horas. Segundo o Sindicato dos Rodoviários da Bahia, os trabalhadores reivindicam questões salariais e o ato não tem ligação com as manifestações contra o impeachment da presidente Dilma Rousseff, como tinha sido divulgado. “O protesto coincide com a manifestação de apoio ao governo, que ocorre nesta sexta, em Salvador”, justificou o diretor de comunicação da classe sindical, Daniel Mota, ao bahia.ba.

O argumento foi desmentido pelo presidente da Central Única dos Trabalhadores da Bahia (CUT-BA), Cedro Silva, que, em entrevista ao programa Uziel Tá na Área, com Evilásio Junior, na Rádio Vida FM (106,1), confirmou o caráter político da paralisação. “A gente tem que falar a verdade para a população. A mobilização dos rodoviários hoje faz parte do dia nacional contra o golpe”, disse o sindicalista.



Este site armazena cookies para coletar informações e melhorar sua experiência de navegação. Gerencie seus cookies ou consulte nossa política.