Publicado em 22/03/2016 às 08h00.

Salvador é a 7ª cidade com o trânsito mais lento do mundo

Pesquisa realizada por empresa belga quantifica o tempo perdido por motoristas em grandes cidades do mundo

Redação
Foto: Wikipedia
Foto: Wikipedia

 

Um levantamento, feito pela fabricante holandesa de GPS e inventora do equipamento TomTom, listou Salvador como a sétima cidade do mundo onde os motoristas mais perdem tempo no trânsito. Conforme a pesquisa, os motoristas perdem, em média, 160 horas no tráfego por ano – o que representa 42 minutos por dia. A liderança brasileira, no entanto, foi conquistada pelo Rio de Janeiro, onde os condutores perdem anualmente 165 horas presos ao fluxo, o que corresponde a 43 minutos diários e coloca a metrópole fluminense na quarta posição mundial do ranking.

As outras capitais brasileiras que aparecem no estudo de mobilidade são Recife (PE), Fortaleza (CE), São Paulo (SP), Belo Horizonte (MG), Porto Alegre (RS), Brasília (DF) e Curitiba (PR), nesta ordem. A liderança mundial em lentidão no trânsito é da Cidade do México (México). Lá os mexicanos passam no trânsito 59% de tempo a mais do que o necessário para a finalização do percurso.

De quarta para sétima – Embora a posição no ranking deste ano não seja agradável para nenhum cidadão de Salvador, o número ainda é menor do que o registrado em 2014, quando os soteropolitanos perdiam 46% de tempo em locomoção. Esse foi o principal argumento de defesa usado pela Superintendência de Trânsito (Transalvador) que, por nota, justificou que “os resultados demonstram o esforço da gestão do Transalvador para a melhoria do tráfego no que lhe compete”.

O órgão também pontuou avanços na fluidez de algumas áreas consideradas críticas para a locomoção, como a Avenida Suburbana, a região do Iguatemi e a Paulo VI, na Pituba. O comunicado enfatiza ainda que “a melhora da mobilidade no contexto geral da cidade não depende unicamente de requalificação da geometria viária, mas de novos modais de transporte”.

Metodologia – Conforme o diretor de Operações da TomTom na América Latina, Marcelo Fernandes, os pesquisadores definiram parâmetros de comparação para listar as 295 cidades (38 países) incluídas na avaliação. Foram colhidas 14 trilhões de informações anônimas de GPS instalados em frotas veiculares e se comparou o tempo gasto de um ponto a outro no horário entre 22h e 5h, em que o trânsito costuma ser livre e o outro leva em conta o tempo de locomoção entre 5h01 e 21h59, período de concentração dos congestionamentos, para se chegar ao resultado do tempo perdido. Com informações do jornal A Tarde.

Este site armazena cookies para coletar informações e melhorar sua experiência de navegação. Gerencie seus cookies ou consulte nossa política.