Publicado em 29/09/2021 às 19h29.

Secretário da Saúde é contra decreto de suspensão das aulas presencias na capital

'Caso o governo decida fazer um decreto de suspensão das aulas presenciais que afete toda a Bahia, na minha opinião Salvador pode ser exceção', disse Léo Prates

Leilane Teixeira
Foto: Eduardo Dias/ bahia.ba
Foto: Eduardo Dias/ bahia.ba

 

Após recuo do governo no retorno às aulas 100% presenciais na rede estadual, que já era planejado para o início do mês de outubro, o secretário municipal da Saúde, Léo Prates, disse, durante entrevista ao programa Cidade Alerta, da TV Itapoan, que a medida do governo não deve impactar na rede municipal. Segundo o gestor, Salvador é excessão.

“Se o governador decidir fazer um decreto que proíba as aulas presenciais em toda a Bahia, vai afetar Salvador devido a uma questão de hierarquia. Mas, no meu entender, aqui em Salvador estamos com nível de contaminação baixo, temos óbitos variando de 0 a 3 por dia, temos também uma media de regulação baixa e estamos conseguindo avançar bastante na vacinaçao dos adolescentes. Tudo isso dá mais segurança e, na minha opinião, Salvador pode ser excessão caso venha ter um decreto”, disse o gestor.

Léo Prates agradeceu ainda aos país por estarem atendendo ao chamado. “Aproveito a oportunidade aqui para agradecer ao pais dos adolescentes que têm se conscientizado e levado os filhos para tomarem a vacina. Isso é muito importante para avançarmos ainda mais na campanha de vacinação”.



Este site armazena cookies para coletar informações e melhorar sua experiência de navegação. Gerencie seus cookies ou consulte nossa política.