Publicado em 31/08/2021 às 15h30.

Homem vítima de atentado na Barra também não resiste e morre após ter 90% do corpo queimado

Adilson Silva morreu 11 dias após a companheira; casal teve barraca incendiada na Barra

Leilane Teixeira

 

Foto: Nara Gentil/Correio
Foto: Nara Gentil/Correio

 

O homem em situação de rua que teve  90% do corpo queimado após o barraco onde estava ser incendiado, no Porto da Barra, não resistiu aos ferimentos e morreu no fim da noite de segunda-feira (30), no Hospital Geral do Estado (HGE), em Salvador. A companheira dele, que também estava no barraco no momento do incêndio, morreu três dias após o caso, no dia 19 de agosto.

A informação foi confirmada ao bahia.ba pela Secretaria de Promoção Social, Combate à Pobreza, Esportes e Lazer (Sempre). Segundo a pasta, Adilson Silva Santos morreu por volta das 22h e 11 dias após a morte da companheira, identificada como Ana Paula de Souza, que teve 92% do corpo queimado.

Suspeito

De acordo com a Polícia Civil, um homem de 39 anos, que é suspeito de cometer o crime, segue preso mesmo negando atuação. Conforme a Polícia Civil, o crime teria sido motivado por vingança.

“Apuramos que ele teve um desentendimento com a vítima há alguns dias e ameaçou atear fogo nele”, disse a delegada da 14ª DT, Mariana Ouais Tebaldi.



Este site armazena cookies para coletar informações e melhorar sua experiência de navegação. Gerencie seus cookies ou consulte nossa política.