Publicado em 23/11/2021 às 07h40.

Sindicato promove manifestação em apoio a professora intimada

A profissional foi acusada de ensinar conteúdos de teor "esquerdista" e de "doutrinação feminista" por uma aluna

Redação
Foto: Reprodução O Globo
Foto: Reprodução O Globo

 

O Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado da Bahia (APLB-BA) organiza uma manifestação, para esta quarta-feira (24), em apoio à professora de filosofia do colégio estadual Thales de Azevedo, que foi intimada a comparecer na Delegacia de Repressão a Crimes contra a Criança e o Adolescente (Dercca).

A profissional foi acusada de ensinar conteúdos de teor “esquerdista” e de “doutrinação feminista” por uma aluna. A manifestação ocorrerá em frente ao Dercca, a partir das 14h30.

Para o coordenador-geral da APLB, Rui Oliveira, quarta-feira é um dia de luta e total solidariedade à professora intimada.

“O que aconteceu na escola Thales de Azevedo pode acontecer em qualquer escola da Bahia e do Brasil. Por isso, vamos dar um basta! Convocamos os trabalhadores e trabalhadoras em Educação, redes estadual e municipal, estudantes, pais e mães de alunos, a comunidade escolar e a sociedade em geral para juntos defendermos a liberdade de ensinar e aprender”, disse.

Em nota, a APLB informou que repudia veemente à intimação e toda e qualquer tentativa de silenciamento aos docentes e a mordaça à liberdade acadêmica ou autonomia pedagógica.

“Chega de negacionismo! Quarta-feira à tarde a aula vai ser em frente à DERCCA. Vamos todos dizer NÃO à ditadura e a censura. Ninguém vai calar a voz dos educadores e educadoras da Bahia e do Brasil”, destaca Rui Oliveira.



Este site armazena cookies para coletar informações e melhorar sua experiência de navegação. Gerencie seus cookies ou consulte nossa política.