Publicado em 08/04/2016 às 13h00.

Uber: Serviço encontra dificuldades na capital baiana

Pouca disponibilidade de carros e resistência da prefeitura complicam vida de usuários e fornecedores do serviço

Redação

uber1

 

Os dois primeiros dias de operações do Uber em Salvador foram marcados pela disputa política entre as categorias e pela indisponibilidade de veículos para os usuários. O serviço foi iniciado na capital baiana na última quinta-feira (7) e sofreu com as ameaças do prefeito ACM Neto de que pretende apreender os carros que estiverem a serviço da empresa de transportes.

Além disso, devido ao baixo número de automóveis cadastrados até o momento, a maioria dos usuários relatou dificuldades em encontrar carros para cumprir os trajetos:

5ee3184f-f58d-4eba-abba-7ce387561c05

Em entrevista ao G1, a gerente de comunicação do Uber, Letícia Mazon, informou oficialmente que o número de veículos cadastrados na capital baiana é insuficiente para a demanda até o momento: “Nesse começo ainda tem poucos carros cadastrados na plataforma. Principalmente nessas primeiras horas, pode ser que haja uma dificuldade de encontrar carros disponíveis na cidade”, destacou Mazon.

Na Câmara Municipal, vereadores acenam para o impedimento do funcionamento, uma vez que a categoria de taxistas é contra a implantação do serviço.

O vereador Joceval Rodrigues (PPS) foi um dos que sinalizaram a postura contrária da prefeitura quanto ao serviço: “Se esse projeto for aprovado, o prefeito pode usar da lei [para proibir]. Usar força policial para conter os operadores do Uber. Eles não pagam um imposto municipal”, afirmou.

Este site armazena cookies para coletar informações e melhorar sua experiência de navegação. Gerencie seus cookies ou consulte nossa política.