Publicado em 03/05/2019 às 17h22.

Bahia registra segunda morte pelo vírus da gripe H1N1; vítimas residiam em Salvador

Em todo o estado, segundo a Sesab, 107 casos estão sendo investigados; oito pessoas já foram diagnosticadas com a doença e estão em tratamento

Rayllanna Lima
Foto: Reprodução/EBC
Foto: Reprodução/EBC

 

Mais um óbito pelo vírus da gripe do tipo H1N1 foi registrado na Bahia. É a segunda morte pela doença no estado, ambas ocorreram em Salvador.

Em nota enviada ao bahia.ba, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) informou que a vítima mais recente foi uma criança de 3 anos que morava da região de Itapagipe e não havia sido vacinado na campanha de imunização deste ano.

O menino morreu no dia 27 de abril, após passar sete dias internado em uma unidade hospitalar da rede privada, localizada na capital baiana.

Segundo a SMS, até então foram notificados 163 casos de síndrome respiratória aguda grave (SRAG) em Salvador, agravo que pode ser provocado por vírus ou bactérias e é caracterizado pela necessidade de internação de pacientes com febre, tosse ou dor de garganta associados a desconforto respiratório.

Dos casos registrados neste ano, dois tiveram resultado laboratorial positivo para a influenza B e outros dois para H1N1. Em março, outra criança de 10 anos também faleceu após complicações causadas pelo H1N1.

Já no levantamento enviado ao bahia.ba pela Sesab (Secretaria de Saúde do Estado da Bahia), até quinta-feira (2) foram notificados 250 casos de SRAG em toda a Bahia, o que representa uma redução de 71,6% em relação ao mesmo período de 2018.

“Verificou-se que 21 casos foram confirmados para Influenza, 38 por outros vírus respiratórios e 84 com amostras negativas. Ressalta-se que 107 casos encontram-se em investigação. Foram registrados 08 óbitos por SRAG, sendo 01 por Influenza A H1N1 (positivo também para Metapneumovírus, residente em Salvador), 01 por Parainfluenza1 e em 06 óbitos não houve identificação de vírus respiratórios. Dentre os 21 casos confirmados para Influenza, 08 foram ocasionados pelo vírus Influenza A H1N1, 05 pelo vírus Influenza A H3N2, 02 Influenza A não subtipados e 06 por Influenza B”, diz a nota.

Campanha de vacinação 

Todo o Brasil estará mobilizado no sábado (4) contra o vírus gripe. De acordo com a Sesab, cerca de 3 milhões de baianos ainda não foram vacinados.

A fim de reverter este cenário, equipes das 417 Secretarias Municipais de Saúde da Bahia trabalharão para atender a população que não compareceu aos locais de imunização durante os dias úteis.

Dentre as ações, os gestores da Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab) participam da mobilização referente ao Dia D de Vacinação contra a Influenza na Unidade Básica de Saúde do Caji, em Lauro de Freitas, a partir das 9 horas.

“A meta é vacinar 90% do público-alvo, que este ano alcança mais de 4,1 milhões (4.101.775) de pessoas”, afirma o secretário estadual de Saúde, Fábio Vilas-Boas.

Subcoordenadora de Doenças Imunopreveníveis, Doiane Lemos destaca que a vacinação é “a medida mais eficaz para proteger os indivíduos com maior vulnerabilidade para gripe”.

Neste ano, além de indivíduos com 60 anos ou mais de idade, serão vacinadas as crianças na faixa etária de 6 meses a menores de 6 anos de idade (5 anos, 11 meses e 29 dias), as gestantes e as puérperas (até 45 dias após o parto), os trabalhadores da saúde, professores, povos indígenas, grupos portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas, a população privada de liberdade e os funcionários do sistema prisional.

A lista completa de unidades que estarão ofertando a vacina na capital pode ser conferida clicando aqui.