Publicado em 24/11/2015 às 18h08.

Desafiar-se revigora o cérebro e a alma

Se você acha que já sabe tudo, dê alguns passos para trás: na vida, precisamos estar sedentos de conhecimento sempre

Priscila Almeida
desafios
Imagem: http://missaosagradafamilia.com.br

 

O grande Steve Jobs em uma palestra para formandos da Universidade de Stanford, nos Estados Unidos, em 2005, fala que o principal na vida é encontrar sua paixão, é fazer o que você ama. Desta forma, o autoconhecimento vira necessidade básica, não acha?

Ele traz o desafio como aquilo que faz crescer, que leva além. No discurso, Jobs conta três histórias em que o desafio o leva a seguir pelo caminho da criatividade e do sucesso. Mas a que mais me chamou a atenção foi a que ele chama de história sobre a morte.

Steve Jobs diz que, aos 17 anos, leu uma citação que dizia: “Se você viver cada dia como se fosse o último, um dia terá razão”. Isso o impressionou e, aos 33 anos transcorridos, sempre se olhava no espelho pela manhã e se perguntava: “Se hoje fosse o último dia de minha vida, eu desejaria mesmo estar fazendo o que faço?”. E se a resposta fosse “não” por muitos dias consecutivos, ele sabia que era preciso mudar alguma coisa.

Jobs usava a morte como ferramenta de desafio para sua vida. Assim, ele agregava valor à vida tirando um tempo toda manhã para se escutar, para se conhecer, para entender suas emoções diante do que estava vivendo. Ao pensar sobre nosso sentimento diante da vida, passamos a conhecer melhor nossos limites, crenças, valores, hábitos e paixões.

A morte é uma certeza que temos na vida.  Ao lembrarmos que ela faz parte do nosso destino, entendemos que a vida é breve, é uma passagem. E você, como está escolhendo viver?

No final do discurso, ele fala algo que achei primoroso, porque é exatamente disto que se trata o presente texto: “Mantenham-se famintos, mantenham-se tolos!”.

Se você acha que já conhece e sabe tudo, dê alguns passos para trás.  Na vida, precisamos estar sedentos de conhecimento sempre. A arte do autoconhecimento não deve parar porque ela sempre nos motivará a ir além.

Sempre se desafie e se conhecerá melhor, assim se tornará imbatível.

 

priscila almeidaPriscila Almeida é psicóloga clínica especialista em saúde mental, psicanálise e em trânsito. Escritora e editora do Blog Papos de Psico.

Priscila Almeida

Priscila Almeida é psicóloga clínica especialista em saúde mental, psicanálise e em trânsito. Escritora e editora do Blog Papos de Psico.

PUBLICIDADE