Publicado em 14/10/2019 às 20h20.

Outubro Rosa para os pets: como prevenir tumores mamários em cães e gatos

Especialista alerta que castração é a principal forma de combater a doença, sobretudo no caso das fêmeas

Redação
Foto: Divulgação/Assessoria
Foto: Divulgação/Assessoria

 

A campanha Outubro Rosa, que alerta sobre os perigos do câncer de mama e a importância da prevenção, não se limita somente aos humanos. O tumor também é comum em pets, conforme sinalizam especialistas.

“Apesar de ocorrer em machos, a doença é muito mais frequente nas fêmeas, pois, na maioria dos casos, está relacionada a disfunções ovarianas. A produção de hormônios em excesso acaba estimulando o desenvolvimento mamário de forma desordenada, o que favorece a formação dos nódulos”, alerta o veterinário Jorge Morais, fundador da rede Animal Place.

O desenvolvimento do câncer de mama também acontece por conta da presença de hormônios injetáveis utilizados para inibir o cio ou devido a má alimentação.

“Uma dieta gordurosa provoca obesidade e os animais obesos têm maior risco de apresentarem a enfermidade. É preciso se atentar aos hábitos alimentares e o valor nutricional do que é oferecido ao pet”, disse o especialista.

Para evitar que o câncer evolua para uma metástase, ou seja, o aparecimento do tumor em outras partes do corpo do animal, os tutores devem castrar os pets, sobretudo as fêmeas, ainda em fase juvenil.

“Se por acaso isso não foi feito, a recomendação é realizar exames nas cadelas ou gatas frequentemente. O teste é semelhante ao autoexame que as mulheres fazem, basta palpar a região das mamas e, ao notar qualquer protuberância, procurar um médico veterinário o mais rápido possível. E, caso algum tumor seja identificado é fundamental realizar um raio X do tórax o quanto antes, para eliminar a suspeita de metástase pulmonar”, afirmou.

PUBLICIDADE