Publicado em 27/03/2020 às 16h19.

Pandemia não pode parar doação de sangue, afirma Ministério da Saúde

Segundo o ministério, há necessidade de manter estoques abastecido por pessoas que têm outras doenças

Redação
Foto: Pedro Moraes/Hemoba
Foto: Pedro Moraes/Hemoba

 

Em meio à pandemia do novo coronavírus, o Covid-19, e às orientações do próprio Ministério da Saúde para que as pessoas respeitem o perído de quarentena, a pasta acrescenta, contudo, que as doações de sangue não podem parar. De acordo com o Ministério, há uma necessidade de manter os estoques de sangue para atender à população que sofre de anemias crônicas, acidentes que causam hemorragias, febre amarela, câncer e outras doenças graves.

O consumo de sangue é diário e contínuo, diz a pasta em campanha divugada nesta sexta-feira (27). O Ministério da Saúde reitera que a doação de sangue é segura, não havendo riscos para quem doa. Para receber os doadores, os cerca de 32 hemocentros no país, além de aproximadamente 500 serviços de hemoterapia – onde também são feitas coletas e uso do sangue -, estão preparados.

“Estamos incentivando o doador de sangue a sair de casa para realizar esse ato heroico, porque as cidades e transportes estão mais vazios, tornando o acesso aos pontos de coleta de sangue mais seguro e confortável. A população brasileira é reconhecida por sua postura solidária e certamente dará mais este bom exemplo ao mundo”, destaca o coordenador de Sangue e Hemoderivados do Ministério da Saúde, Rodolfo Duarte Firmino.

PUBLICIDADE