Publicado em 20/09/2018 às 22h00.

Noivo simula o próprio sequestro para fugir de casamento no interior

Polícia investiga se farsa seria novo golpe de advogado suspeito de estelionato

Redação
Foto: Reprodução/Arquivo Pessoal
Foto: Reprodução/Arquivo Pessoal

 

Há dois dias para a cerimônia de casamento no santuário Dom Bosco, em Brasília, uma médica de 44 anos começou a receber mensagens e fotos no celular informando o sequestro de seu noivo.

Nas imagens, o embaixador Marcelo Henrique Morato Castilho, 34, ccomo ela o conhecia, aparecia de joelhos, cabeça baixa e mãos amarradas.

Após passar um dia inteiro tentando negociar a liberdade do noivo em troca de dinheiro, a noiva de São José do Rio Preto, interior de São Paulo, descobriu que ela era a vítima do crime e Castilho forjou o próprio sequestro para fugir do casamento. Ele, na verdade, já tinha passagens pela polícia e era conhecido por uma série de golpes aplicados.

Segundo informações da Polícia Civil de São Paulo, o rapaz que se identificou como “embaixador da ONU” tinha cinco passagens registradas, desde apropriação indébita a estelionato.