Publicado em 23/04/2019 às 21h22.

Crise da Avianca preocupa trade turístico sobre Copa América

Torneio será realizado no Brasil entre 14 de junho a 7 de julho; Salvador será uma das cidades a sediar o evento

Rayllanna Lima
Divulgação: EFE
Divulgação: EFE

 

A crise que atinge a Avianca e resultou em cancelamentos de centenas de voos com destino Salvador continua preocupando o trade turístico. Presidente da Federação Baiana de Hospedagem e Alimentação (FeBHA), Silvio Pessoa demonstra preocupação com o desempenho da cidade para receber grandes eventos.

“Uma perspectiva nossa é a Copa das Américas. Precisamos saber como vamos estar aqui durante essa Copa, que Salvador é uma das cidades que participará”, disse ao bahia.ba. O torneio será realizado no Brasil entre 14 de junho a 7 de julho.

Segundo ele, a FeBHA registrou na capital baiana ocupação de 56% durante o feriadão da Semana Santa, quatro pontos abaixo do esperado. “Só em Salvador foram mais de 10 voos cancelados entre sexta e sábado. Enquanto não abrir os céus para companhias de baixo custo, fazer concorrência interna, vamos cair na mão do monopólio Gol, Latam e Azul”, afirmou Silvio Pessoa.

“O Estado está pensando como ajudar os hoteleiros, bares e restaurantes do Centro Histórico, mas não propôs a forma. Por enquanto, são só estudos. E o que estamos precisando mesmo é de novas companhias, uma campanha massiva de divulgação para ver se a gente desperta o interesse. E, principalmente, trabalhar o interior do estado, afinal de contas 45% dos visitantes que vêm a capital são do interior”, avaliou.

Em nota enviada por meio de sua assessoria de comunicação, o secretário estadual de Turismo Fausto Franco disse que “a meta do Governo da Bahia é ampliar a oferta de voos, com a participação de todas as companhias aéreas, aprimorando a qualidade do atendimento à demanda crescente de passageiros – baianos e turistas”.

Veja o comunicado na íntegra:

 

Quando a Avianca ingressou na recuperação judicial, no final de 2018, o alerta indicava que esse processo – infelizmente – poderia produzir impacto no mercado. As consequências começam a atingir as diversas capitais brasileiras onde a companhia opera. Com o avanço deste processo, está demonstrado o interesse de outras empresas pelos ativos da Avianca o que pode produzir positiva utilização de aeronaves que estão fora da disputa judicial. Torcemos pelo melhor resultado. A meta do Governo da Bahia é ampliar a oferta de voos, com a participação de todas as companhias aéreas, aprimorando a qualidade do atendimento à demanda crescente de passageiros – baianos e turistas.