Publicado em 10/12/2016 às 10h15.

Fim repentino do programa de Rita Batista gera protestos na internet

"Eu soube da demissão pela imprensa. Faltou respeito", diz ex-apresentadora do "Bom Dia Bahia" da TV Aratu

James Martins
Foto: Uran Rodrigues / Divulgação
Foto: Uran Rodrigues / Divulgação

 

O programa “Bom Dia Bahia”, da TV Aratu, apresentado por Rita Batista, foi subitamente retirado do ar no dia 1° deste mês. Na ocasião, Rita nem sequer estava em Salvador e acabou sabendo que a atração fora excluída da grade da emissora através da imprensa. “Eu estava em São Paulo, fazendo um evento da Boticário, e fui surpreendida com a notícia pela imprensa”, disse ela em entrevista ao bahia.ba.

Sem demonstrar nenhum rancor pela demissão, ela lamentou, contudo, o modo como o processo se deu: “Isso é o capitalismo, as empresas têm suas gestões, é normal. Agora, faltou jeito, aquela gentileza que a gente usa nas relações humanas e trabalhistas, sabe? Faltou respeito… Se a decisão já tinha sido tomada, podiam ter me informado antes”.

O procedimento da TV Aratu desagradou também os fãs da apresentadora, que, a partir desta quinta-feira (8), através das Redes Sociais, emitiram notas de repúdio. “Fomos surpreendidos com a suspensão arbitrária do programa de Rita Batista da grade da TV Aratu. De um dia para o outro o ‘Bom Dia Bahia’ foi cancelado sem aviso ao público, sem que ela se despedisse da audiência, sem respeito à população ou à profissional”, diz uma nota.

O mesmo texto propõe uma interpretação racial para a questão: “A lista de jornalistas negras que sofrem violências desse tipo é grande: Ana Portela, Wanda Chase e etc… A gente não quer mais deixar barato. #QueremosRita #KDRita #somostodasritabatista #ritanatv #ritabroca”, finaliza.

Comentando o viés racial, no entanto, a própria Rita considera a situação mais complexa. “É claro que o capitalismo também tem um recorte racial, como tudo. Porém, a questão principal é grana mesmo. É mais complexo e ao mesmo tempo mais simples. O horário será preenchido por um programa de menor custo para a emissora, uma atração da igreja. O ponto é a grana, pronto”, conclui.

PUBLICIDADE

Mais notícias