Publicado em 22/03/2019 às 08h26.

STF entra em alerta com delação premiada que pode atingir Fux

Um ex-assessor do ministro teria sido destinatário de propina milionária para ajudar a influenciar uma decisão judicial

Redação
Foto: Divulgação/STF
Foto: Divulgação/STF

 

O STF (Supremo Tribunal Federal) voltou a entrar em alerta na quinta (21) após rumores de que uma delação premiada pode atingir, ainda que indiretamente, um dos ministros do tribunal, informa a colunista Mônica Bergamo.

Nesta sexta (22), a revista “Veja” revelou a existência de um anexo na delação do empresário Jacob Barata.

Nele, Barata, conhecido como o “rei do ônibus” do Rio de Janeiro, diz que um ex-assessor do ministro Luiz Fux, do STF, teria sido o destinatário de uma propina de milhões de reais para ajudar a influenciar uma decisão judicial.

Segundo a publicação, Barata diz que, em 2011, ouviu do então presidente do conselho da Fretranspor, José Carlos Lavouras, que precisava retirar dinheiro do caixa para repassar a um assessor do ministro. A propina seria paga para influenciar uma decisão judicial.

Lavouras vive hoje em Portugal.

De acordo com a publicação, o funcionário que teria recebido o pagamento, José Antônio Nicolao Salvador, foi demitido do gabinete de Fux em 2016 porque, conforme o ministro disse à revista, parecia ostentar um padrão de vida superior ao que seu salário permitia.