Publicado em 21/04/2017 às 10h20.

Estado Islâmico assume autoria de ataque a tiros em Paris

Atirador da Champs-Élysées já tinha sido preso em fevereiro

Redação
Foto: BBC/TV
Foto: BBC/TV

 

O grupo terrorista Estado Islâmico assumiu a autoria do ataque a tiros na Avenida Champs-Élysées, em Paris, que causou a morte de um policial e feriu outros dois nesta quinta-feira (20). Em um breve comunicado divulgado na internet pela agência de notícias Amaq, ligada à organização jihadista, os extremistas informaram que o autor dos disparos que mataram o policial foi “um dos combatentes do Estado Islâmico”, identificado como “Abu Youssef, o belga”.

O comunicado da Amaq, cuja veracidade não chegou a ser comprovada, cita uma “fonte de segurança” jihadista e não dá mais dados sobre o ataque além da localização. O atentado deixou também um pedestre ferido.

O autor do ataque já foi identificado pelos serviços de combate ao terrorismo na França. O homem de 39 anos, que ainda não teve a identidade revelada pelas autoridades, tinha armas e uma faca no carro e foi preso em fevereiro por tentativa de homicídio e respondia a processo em liberdade. O suspeito, que tinha nacionalidade francesa era identificado como potencial radical islâmico. A imprensa francesa afirma que o suspeito se chamava Karim Cheurfi.

Pronunciamento- Mais cedo, o presidente da França, François Hollande, havia declarado que todas as pistas indicavam que o tiroteio teve “caráter terrorista”. “Estamos convencidos de que as pistas que podem conduzir à investigação e que devem revelar toda a realidade são de caráter terrorista”, disse o presidente em um pronunciamento à imprensa no Palácio do Eliseu, a poucos metros do local do tiroteio. O presidente também afirmou que convocou um Conselho de Defesa na manhã desta sexta-feira (21).

Com informações da Agência EFE.