Publicado em 18/03/2019 às 18h40.

Contra projeto do Uber, taxistas tentarão alterar texto com emendas de Alfredo Mangueira

Em conversa com Lorena Brandão, relatora da proposta, interlocutor ameaçou protestos em igreja e disse estar "preocupado com a imagem" da vereadora

Rodrigo Aguiar
Foto: Max Haack/ Ag. Haack/ bahia.ba
Foto: Max Haack/ Ag. Haack/ bahia.ba

 

Mobilizados contra o projeto que regulamenta aplicativos de transporte em Salvador, taxistas tentarão alterar substancialmente o parecer da vereadora Lorena Brandão (PSC), relatora da matéria.

O bahia.ba apurou que a estratégia do grupo é modificar o texto da vereadora por meio de emendas a serem apresentadas pelo vereador Alfredo Mangueira (MDB) na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara.

O relatório da vereadora será votado na quarta-feira (20) no colegiado. Além de Lorena e Mangueira, integram a comissão Alexandre Aleluia (DEM), Aladilce Souza (PCdoB), Suíca (PT), Marcelle Moraes e Duda Sanches (DEM). Edvaldo Brito (PSD) e Sabá (PV) são suplentes.

Um dos pontos que mais causa a insatisfação dos motoristas de táxi é a ausência de limite do número de veículos autorizados a rodar com aplicativos, como Uber e 99 Pop.

No texto original, a prefeitura estabelece que no máximo de 7,2 mil veículos poderiam prestar o serviço, em paridade com a frota de táxis. Em seu parecer, no entanto, Lorena retirou o limite, o que causou a reclamação dos taxistas.

Ao final da sessão desta segunda, a relatora do projeto foi abordada em pelo menos duas oportunidades por representantes dos taxistas, que foram à Casa fazer corpo a corpo com os vereadores.

Uma reunião do grupo com o presidente da Câmara, Geraldo Jr. (SD), deve acontecer nesta terça-feira (19).

Durante a conversa com os taxistas, Lorena ouviu de um interlocutor que a categoria poderia fazer um protesto com carro de som e faixas “em frente à sua igreja”.

A vereadora é bispa do Ministério Batista Internacional do Caminho das Árvores (IBCA). “Vereadora, eu estou preocupado com a imagem da senhora”, disse o taxista.

O mesmo interlocutor afirmou que foi orientado pelo prefeito ACM Neto (DEM) a procurar a vereadora para expressar a insatisfação do grupo.

PUBLICIDADE