Publicado em 11/06/2019 às 11h07.

Moro e Dallagnol, julgador e acusador, segundo Otto, vão ter que se explicar

É certo que a pretensão de Moro ir para o STF subiu no telhado

Levi Vasconcelos
Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil
Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

 

A vida é mesmo cheia de ironias. Quando o então juiz Sérgio Moro, a uma semana da eleição, deixou vazar a delação do ex-ministro de Lula Antonio Palocci, a uma semana do primeiro turno presidencial, era legal, apesar do bombardeio de críticas, inclusive de juristas, que dizia tratar-se de uma ação política.

Agora, alvos de vazamento de mensagens reveladas pelo site The Intercept Brasil, Moro e o procurador Deltan Dallagnol, coordenador da força-tarefa da Lava Jato, foram incisivos: disseram-se vítimas de um vazamento ‘imoral e ilegal’. Sugere-se que só eles possuem a legalidade e a moralidade.

Na escada

Cola? Para o senador Otto Alencar (PSD), claro que não. Ontem em entrevista a Band News, ele disse que Moro ‘deixou vazar tudo’. E vaticinou:

— As acusações, de que Moro e Dallagnol, um juiz que deve julgar os fatos, e o procurador que deveria apurar, agiam de comum acordo, são graves. E fatalmente vão dar em CPI.

Também é certo que a pretensão de Moro ir para o STF subiu no telhado. Otto diz ter uma quase certeza:

— No Senado não passa. Ele atropelou a lei, agiu como se os fins justificassem os meios. E isso é grave.

O senador afirma que no Paraná já se dizia que Moro sempre fez vistas grossas para os aprontes do ex-governador Beto Richa. A isso soma-se a desarticulação do governo no Congresso. Em suma, Moro subiu a escada. Está com a moral de juiz sério e condenador rigoroso em xeque. E o procurador Dallagnol, tão rigoroso no ato de acusar, agora está se explicando.

Entrou água.

 

Levi Vasconcelos

Levi Vasconcelos é jornalista político, diretor de jornalismo do Bahia.ba e colunista de A Tarde.

PUBLICIDADE