Publicado em 14/06/2018 às 12h12.

‘Vou defender o BRT com todas as forças’, promete ACM Neto

Ao bahia.ba, o prefeito ainda questionou o motivo de o Ministério Público não agir com o BRT da mesma forma que agiu com o Metrô de Salvador

Jessica Galvão / Matheus Morais
Foto: Valter Pontes/Secom/PMS
Foto: Valter Pontes/Secom/PMS

 

Apesar das críticas que vem sofrendo por causa das obras do BRT (via expressa para ônibus) que está construindo, o prefeito ACM Neto (DEM), em entrevista ao bahia.ba nesta quinta-feira (14), lamentou o posicionamento do Ministério Público Federal (MPF) de pedir suspensão do projeto, e disse que vai defender o sistema de transporte “com todas as forças perante a Justiça”.

“Eu lamento profundamente, porque eu estou tratando isso há cinco anos. Minha luta de ter ido quase centenas de vezes à Brasília, ter discutido, ter dado conhecimento, ter feito quatro audiências públicas, ter agido com o máximo de transparência. A imprensa acompanhou tudo, desde o primeiro momento quando nós apresentamos o projeto conceitual, depois quando foram apresentados os detalhamentos, quando foi debatida essa matéria com a população, depois com a licitação, a ordem de serviço. Aí a obra começa e vem esse tipo de iniciativa”, disse o prefeito.

“Eu realmente não posso respeitar esse tipo de coisa porque é contra a cidade. Me perdoe, com todo o respeito que eu tenho ao Ministério Público Federal e ao Estadual. Eles estão fazendo uma coisa contra a cidade e nós vamos utilizar de todos os meios necessários para fazer defender o interesse de Salvador”, completou.

BRT e Metrô

Neto ainda questionou o motivo de o Ministério Público não agir com o BRT da mesma forma que agiu com o Metrô de Salvador. “E me estranha muito. Por que o Ministério Público, sobretudo o Estadual, não teve a mesma postura com relação a obra do metrô, que suprimiu duas mil árvores da [avenida] Paralela, que era o parque verde contínuo maior da cidade? Hoje, se a Paralela não está mais agredida, é porque a Prefeitura não deixou. Nós procuramos exigir todo o plano de recomposição da arborização, de paisagismo e de preservação da natureza. E é claro que esses mesmos cuidados nós temos com o BRT”, disse.

“Eu não entendo, de fato, por que tratar coisas que são muito próximas, aliás, o BRT tem um impacto muito menor na fauna e na flora do que teve o metrô e agora vem o Ministério Público querendo criar esse tipo de confusão. Espero que não tenha nenhum interesse que não seja o mais legítimo por trás dessa iniciativa. Eu vou enfrentar este assunto e vou defender o BRT com todas as forças perante a Justiça, e a obra está continuando, porque não há nada que impeça a obra de continuar”, afirmou o democrata.