Publicado em 12/07/2018 às 15h05.

‘Sindicalistas tiraram alunos de sala à força’, afirma secretário

De acordo com titular da pasta de Educação do município, Bruno Barral, grupo de manisfestantes partidários causou tumulto em unidades da rede municipal

Redação
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

 

A Secretaria Municipal da Educação (Smed) divulgou nota na tarde desta quinta-feira (12), afirmando que um grupo de manifestantes “de perfil político-partidário” teria causado tumulto em unidades de ensino de Salvador em virtude da greve dos professores da rede municipal.

No texto, a SMED repudia o que chamou de “truculência e o radicalismo” e alegou que os grupos teriam tentado impedir a entrada de alunos e professores além de ter retirado os estudantes à força das salas de aula.

“É lamentável esse tipo de atitude. Repudiamos veementemente essas ações. Nossos alunos e suas famílias que estão sendo prejudicadas por uma minoria, que está, na realidade, fazendo política partidária e para isso prejudica a população”, criticou o secretário Municipal de Eduacação, Bruno Barral. “Também é uma atitude desrespeitosa aos professores e gestores que querem trabalhar, dar aula e acolher nossos alunos. E que representam a maioria”, disse

De acordo com dados de levantamento feito pela secretaria,  86% das escolas não aderiram à greve dos professores e estão funcionando normalmente.

Mais notícias