Publicado em 07/12/2015 às 20h40.

Dois milhões devem votar para novos diretores das escolas estaduais

As eleições que escolherão os novos dirigentes das escolas da rede estadual de ensino irão ocorrer na quinta-feira (10) em toda a Bahia

Hieros Vasconcelos

Mais de dois milhões de pessoas estão aptas para escolher os dirigentes das escolas da rede estadual, nas eleições que acontecem nesta quinta-feira (10), simultaneamente, nas escolas da rede estadual de ensino, durante os três turnos. Podem participar da eleição professores, coordenadores pedagógicos, servidores públicos em exercício na unidade escolar, estudantes a partir de 12 anos de idade com frequência regular e pais ou responsáveis.

A grande novidade nesta eleição é que o Governo da Bahia ampliou para 55% o peso dos votos dos alunos e dos pais. A iniciativa integra o programa Educar para Transformar – um Pacto pela Educação, que propõe maior integração das famílias na escola, pela melhoria da educação pública. A participação da família no processo eleitoral também ganha força, sobretudo, com a atuação do Colegiado Escolar, conselho formado pelo gestor, professores, funcionários, estudantes, pais, mães ou responsáveis pelos estudantes, que se reúnem mensalmente para colaborar com a melhoria da escola e cuja eleição dos membros também foi realizada este ano nas escolas.

Dona Lindimeire Gomes dos Reis é mãe de aluna e membro do colegiado escolar do Colégio Estadual Helena Matheus, localizado do bairro São Cristóvão, em Salvador. Ela está tão engajada que convida os vizinhos e amigos pais de alunos para que possam votar. “É indispensável que todos os alunos e pais se envolvam no processo de eleições para saber quem irão escolher, pois, é um direito nosso de exercer o papel de cidadão”, afirmou.

A líder do colegiado escolar Michaele Cruz dos Santos, 14 anos, que cursa o 1º ano do Ensino Médio, também está mobilizando pais de alunos e outros colegas para participarem da votação. “Temos que avaliar as propostas e planos dos candidatos para ter certeza de nossa escolha”, aconselha. Já a líder de classe Danielle Souza, 15 anos, do 1º ano, acredita que “é muito importante nos unirmos para juntos acompanharmos as ações e atividades que contribuem para o desenvolvimento da gestão escolar”.

Para a líder de classe, Juliana Oliveira, 17 anos, do 3º ano do Ensino Médio, este é um processo democrático muito importante. “É um privilégio ter a oportunidade de participar de uma eleição com a integração de pais, alunos e funcionários, com o objetivo de trazer melhorias para a escola, que é onde passamos boa parte do nosso tempo”.

Vale destacar que os candidatos aos cargos de diretores escolares (professores e coordenadores pedagógicos) fizeram uma prova de certificação. Além de testar habilidades e conhecimentos nas áreas de gestão pedagógica, a certificação qualifica o candidato para a função de gestor escolar.

PUBLICIDADE