Publicado em 29/06/2022 às 11h12.

TJ rejeita habeas corpus a envolvido em atropelamento fatal em Ilhéus

Acusado pela morte de Ranitla Scaramussa Bonella permanece foragido; magistrado argumenta não ter encontrado ilegalidade na decretação da prisão

Redação

 

Foto: reprodução/redes sociais
Foto: reprodução/redes sociais

 

O Tribunal de Justiça da Bahia negou habeas corpus requerido pelo motorista acusado de ser o autor do atropelamento fatal da jovem Ranitla Scaramussa Bonella, no último dia 11, em Ilhéus. O motorista continua foragido. A decisão foi proferida pelo desembargador Antônio Cunha Cavalcanti, da 2º Câmara Crime da 2ª Turma.

Na decisão, o magistrado argumenta que “a tutela de urgência (o HC) demanda a demonstração de ilegalidade manifesta. Ocorre que, do exame atento do conjunto fático probatório, não se vislumbram presentes os requisitos essenciais ao deferimento da liminar ora pleiteada”.

Em sua defesa, o motorista acusado alega que fugiu sem prestar socorro temendo retaliação, mas se entregou na delegacia e se dispõe a colaborar com o processo. Em um primeiro momento, a Justiça de primeira instância rejeitou a detenção do acusado, mas após as primeiras investigações a reclusão foi acolhida.

O acidente fatal aconteceu no período da tarde, quando foi atingida na faixa de pedestres, na altura do quilômetro 295 da BA-001. O motorista, identificado como empresário da região, fugiu sem prestar socorro. Ranitla chegou a ser atendida pelo Samu, mas não resistiu.

“Precisamos do apoio da população para contribuir com informações para efetivar a prisão. Acreditamos na condução dos órgãos competentes e que em breve o autor do crime será preso para responder legalmente pelo crime praticado”, declarou Roberto Bonella, pai da vítima.

Este site armazena cookies para coletar informações e melhorar sua experiência de navegação. Gerencie seus cookies ou consulte nossa política.