Publicado em 10/07/2020 às 18h00.

Agências Anac e ANP apuram possível adulteração em gasolina de aviação

Problema começou a ser relatado no começo desta semana, nos estados de Rio Grande do Sul, São Paulo e Goiás

Redação
Foto: divulgação Anac
Foto: divulgação Anac

 

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e a Agência Nacional de Petróleo (ANP) investigam a suspeita de adulteração de gasolina de aviação distribuída no Brasil. O combustível pode ter causado danos e corrosões em tanques de combustível e em peças de pequenas aeronaves, além de vazamentos. O problema começou a ser relatado no começo desta semana, nos estados de Rio Grande do Sul, São Paulo e Goiás.

Atualmente, cerca de 12 mil aviões usam esse combustível para voos de táxi-aéreo, particulares ou de instrução. Segundo o G1, os vaazamentos e danos fazem pilotos a se negar a decolar. Na quinta-feira (9), prepostos da ANP recolheram amostras da gasolina de aviação no Campo de Marte (SP). As duas agências também pediram informações mais detalhadas à associação de pilotos responsável pelas denúncias.

Também na quinta, a Anac emitiu Boletim de Aeronavegabilidade aos operadores de aeronaves recomendando que, caso exista histórico ou evidências de contaminação, busquem imediatamente uma oficina de manutenção aeronáutica credenciada.  Estas empresas terão que comunicar essa avaliação encontradas ao Sistema de Dificuldade em Serviço (SDR) da Anac. Com informações do UOL